Ouça agora este podcast! “035 A importância de definir o mercado e a segmentação para suas campanhas”

Eu sou Breno Reis, o expert em Marketing Digital do Dicas Curtas e semanalmente trago aqui neste podcast, várias dicas e informações para ajudar você a alavancar suas vendas e também a conhecer um pouco mais sobre este mercado em constante evolução.

Antes de iniciarmos o episódio de hoje, tenho duas informações importantes:

– A primeira é que você pode acompanhar este podcast através de seus agregadores de podcast, tanto no android quanto no ios, porém também já pode ouvir através do Spotify!

Basta pesquisar no Spotify por Dicas Curtas e seguir o podcast do Expert Em Marketing Digital.

– A segunda é que gostaria de contar com sua a participação neste podcast!

Conte para nós se alguma dessas dicas que venho compartilhando já te ajudou, ou deixe uma dúvida para que eu possa respondê-la nos próximos episódios.

Então é bem simples: envie uma mensagem de áudio dizendo seu nome e de onde é para o whatsapp de ddd 61 e o número é 98151-1651.

Talvez sua dúvida ou seu case de sucesso possa ajudar outras pessoas a alavancarem seus resultados usando o Marketing Digital.

Então vamos para o que interessa!

Criando um produto para vender…

Quando se pretende criar um produto ou um serviço a ser oferecido usando as ferramentas existentes no Marketing Digital, alguns pontos relevantes precisam ser levados em consideração.

O primeiro deles é identificar uma necessidade real e não uma suposta necessidade que será atendida por um extraordinário produto ou serviço.

Digo isso porque o marketing precisa ser encarado como um meio para inicialmente testar uma hipotética necessidade, apresentando ao mercado o que se deseja ofertar como solução que resolverá tal problema.

O segundo ponto que precisa ficar claro é que a principal função do marketing é servir, satisfazer, e não enganar, falsificar, mentir ou tirar vantagem.

Como foi apresentado por Theodore Levitt em seu manifesto Miopia no Marketing: “O marketing devia centrar-se nas necessidades dos clientes, e não nas características do produto”.

Este manifesto foi criado como um relato do comportamento das empresas que trabalham o marketing focado no produto, em detrimento das necessidades do mercado e de seus clientes.

A ideia estava em reforçar que ao tentar empurrar algo que não atende de forma legítima as necessidades das pessoas, as empresas teriam a grande tendência de sofrer sérios problemas ou até deixarem de existir.

Orientação Estratégica da Empresa

Para resolver este problema as empresas precisam reconhecer qual sua orientação estratégica, para a partir desta identificação, corrigir o seu curso.

Um fato relevante a ser tomado como ponto de partida para a mudança estratégica de uma empresa é levar em consideração qual a orientação está sendo utilizada para alcançar seus resultados.

Existem três:

Orientação para o produto:  seguindo a lógica do fabricante e não do consumidor, que ao invés de olhar para o que o consumidor está querendo, foca no que se tem a oferecer, como qualidade, aspectos técnicos, processos de produção e controles de custos.

Orientação para vendas: dando maior ênfase a utilização de instrumentos promocionais, como propagandas, promoções, vendas pessoais com o único propósito de gerar vendas a curto prazo para a empresa, resumindo, vender a qualquer custo

Orientação para marketing: onde o fosse é fazer com que as necessidades do cliente sejam atendidas no longo prazo, com consistência atendendo as demandas da sociedade.

Com certeza as empresas orientadas para marketing são mais lucrativas, independente do grau de turbulência do mercado em que atuam, da intensidade da competição e do grau de mudança tecnológico que venha a ocorrer.

O Mercado

Ao colocar um produto a venda, existe uma informação que é crucial para identificar a viabilidade do negócio: A existência de um mercado.

Existem três condições básicas para que seja definida a existência de um mercado:

  1. O consumidor precisa perceber a existência de uma necessidade;
  2. Existe um produto para satisfazer esta necessidade;
  3. Existe a capacidade de compra.

Porém uma abordagem mais precisa para indicar tal condição seria:

Mercado existente: é aquele em que já existem produtos ou serviços que atendem uma necessidade já percebida pelos clientes, com condições de adquiri-los.

Mercado potencial: é aquele em que uma dessas condições não ocorre.

No marketing digital, tivemos nos últimos anos um apelo muito forte para que cada um criasse seu produto, seja motivado pela crise ou por haver uma ideia revolucionaria para um problema específico.

Porém muitos ficaram pelo caminho por não observarem o seu mercado, principalmente se há forte concorrência e quais são seus diferenciais.

Faça a análise dos pontos que apresentei até aqui e avalie se o que você pretende oferecer possui um mercado a ser atendido.

Será necessário você realizar testes também, uma vez que mesmo com vários dados positivos, o mercado é que ditará se você estará certo ou não.

Porém na hora de fazer seus primeiros testes, você irá fracassar miseravelmente e inclusive poderá desistir de todos os seus planos, por uma questão extremamente importante: a segmentação.

A segmentação

A segmentação tem como foco identificar características comuns de grupos de indivíduos com maior propensão a ter uma necessidade específica que possa ser resolvida pelo seu produto ou serviço.

O processo de segmentação consiste basicamente em separar tais grupos a partir de características específicas, que sejam semelhantes para todos os que pertencem à um único grupo, mas que difere dos demais grupos.

Para auxiliar na identificação destas segmentações existem critérios que podem ajudar você a realizar tal feito.

E vou pontuá-los aqui para você saber como fazer estas segmentações antes de partir para realização de suas campanhas, sejam elas no Facebook Ads ou no Google Adwords.

Critérios de Segmentação

O primeiro critério é a segmentação geográfica, que além de ser mais antiga é simples de se fazer, pois leva em consideração como o mercado está distribuído geograficamente. Como exemplo vou levantar uma questão bem simples: já parou para pensar que é muito mais difícil você vender “cuias do chimarrão” no Nordeste do que no Sul do Brasil?

O segundo critério é a segmentação demográfica, que possui diversas variáveis que podem ser utilizadas, porém as mais comuns são a idade, o sexo e a renda familiar.

O terceiro critério é a segmentação psicográfica, que possui um apelo mais voltado a questões comportamentais relacionados a personalidade e estilo de vida. Vejo a aplicação desta segmentação praticada através de headlines e na contextualização de cartas de vendas.

O quarto critério é a segmentação segundo o comportamento de compra, onde os consumidores são normalmente classificados como: compradores frequentes, médio ou infrequentes. Um exemplo para esta situação são as variáveis relacionadas a facilidades de uso ou acesso a um determinado produto ou serviço, aumentando a frequência na qual um comprador retorna, como um dentista próximo ao local de trabalho.

O quinto critério é a segmentação por benefício, conectado diretamente aos benefícios racionais e psicológicos entregues. Apesar de mais complexo, este critério orienta a priorização daquilo que é visto como valor para o cliente.

O sexto e último critério é a segmentação por produto, leva em consideração segmentações já existentes para identificar um público em potencial, baseado nas lógicas já existentes no mercado e analisando se as necessidades do público atual não estão sendo atendidas ou de forma incompleta.

Analise, Planeje e Teste

Agora porque abordei este tema no episódio de hoje?

Com estas informações, espero que você possa planejar melhor as segmentações a serem definidas para realização de suas campanhas, além de evitar gastos desnecessários com públicos que não terão uma possibilidade de compra relevante para suas ações de marketing.

Após consolidar estas informações, você pode ir até o Facebook por exemplo, e tentar identificar todas as características que agrupou e criar públicos para testar suas campanhas.

O Google Adwords também permite que você faça segmentações de públicos para seu negócio.

Então aproveite este conhecimento, após identificar o mercado, elabore as segmentações para o que irá oferecer e teste cada uma delas.

 

Espero que tenha gostado do episódio de hoje!

Curta, comente, compartilhe e deixe sua avaliação no ITunes para que este conteúdo chegue cada vez mais longe, ajudando mais e mais pessoas a alavancarem seus negócios usando o marketing digital.

Caso fique com alguma dúvida, me procura lá no grupo do Expert Em Marketing Digital no Facebook, pois estarei à disposição para esclarecer todas elas.

Assine este podcast no seu dispositivo Apple através do aplicativo Podcast, ou no seu dispositivo Android usando o aplicativo de podcast’s de sua preferência.

E claro também através do Spotify!

Assim você irá receber uma notificação sempre que um novo episódio estiver disponível.

Conheça também nosso time de experts através do nosso site: www.dicascurtas.com.br.

 

Até a próxima semana!

Podcast do Expert Em Marketing Digital | Dicas Curtas

Pin It on Pinterest

Share This