Ouça agora este podcast!

“092 A Taxa Selic”Acredito que algum dia você já deve ter vivido a seguinte cena: sentou no sofá da sala, ligou a televisão no noticiário e assistiu ao apresentador dizendo que o comitê de política monetária aumentou ou diminuiu a taxa básica de juros da economia.

Mesmo que você não assista televisão, deve ter ficado sabendo da movimentação da taxa SELIC de alguma forma, seja na internet, em revista, no jornal ou em uma roda de amigos, afinal ela é muito importante para o país e afeta a vida de todos os brasileiros. E é sobre isso que vamos tratar nesse podcast.

Eu sou Phillip Souza, o expert em Finanças e Investimentos do Dicas Curtas e todas as semanas apresento nesse podcast, várias dicas, informações relevantes e orientações que podem te ajudar a usar bem o seu dinheiro para construir seus resultados de forma financeiramente saudável com foco em qualidade de vida, aproveitando o presente e cuidando do futuro, transformando-se em um investidor inteligente.

Para você ficar por dentro com todas as informações e não perder nenhuma dica, basta assinar gratuitamente o podcast e acompanhar todas as semanas o Investidor Inteligente do Dicas Curtas.

 

Taxa básica de juros da economia

A Taxa SELIC é a taxa básica de juros da economia no Brasil. Ela é utilizada no mercado interbancário para financiamento de operações com duração diária, lastreadas em títulos públicos federais. A sigla SELIC é a abreviação de Sistema Especial de Liquidação e Custódia.

Essa sigla nada mais é que um sistema computadorizado utilizado pelo Governo, sob responsabilidade do Banco Central do Brasil, para que haja controle na emissão, compra e venda de títulos. A Taxa SELIC é obtida pelo cálculo da taxa média ponderada dos juros praticados pelas instituições financeiras.

 

Qual é a Taxa SELIC hoje?

A SELIC, hoje, está em 6,50% ao ano, mas ela está sempre sujeita a sofrer variações. Para verificar a modificação desse valor, você pode acessar o site do Banco Central.

Acompanhar a evolução desta taxa pode fazer grande diferença em seus investimentos. Mais do que optar pela melhor rentabilidade, é importante entender quais investimentos podem te fazer ganhar naquele exato cenário.

 

Como funciona a Taxa SELIC?

Tudo começa com uma necessidade do governo em ter dinheiro para pagar suas próprias dívidas e fazer investimentos; ou seja: para construir estradas, hospitais, escolas, investir na segurança e na saúde da população, o governo irá precisar de impostos. Apesar do principal meio de arrecadação ser este, existe outra maneira de arrecadar dinheiro, que é através do Tesouro Nacional. Para investir em infraestrutura, o governo arrecada dinheiro através de títulos do Tesouro Direto. Um dos mais famosos é conhecido como Tesouro SELIC.

Para isso a secretaria do tesouro emite Títulos Públicos com essa mesma função: conseguir recursos para o governo. Além disso, captar dinheiro permite que o governo antecipe a receita de impostos. É como se o governo antecipasse o valor que vai lhe cobrar no ajuste do IRPF em abril do ano que vem, por exemplo.

A grande maioria desses títulos do tesouro é comprada por grandes bancos. Por lei todo banco é obrigado a depositar uma porcentagem de seus depósitos em uma conta no Banco Central. Esta medida é necessária para controlar o excesso de dinheiro em circulação na economia e evitar um aumento descontrolado da inflação.

Devido as milhões de operações bancárias realizadas diariamente, é comum os bancos chegarem ao final do dia com a porcentagem maior ou menor do que deveriam ter na conta do Banco Central. Como os bancos são obrigados a respeitá-la, eles se veem obrigados a pegar empréstimos com outros bancos para cumprirem a lei.

 

Taxa SELIC Meta

Esses empréstimos geralmente são de curto prazo, durando em torno de 24 horas. Assim como você oferece a sua casa como garantia em um financiamento habitacional por exemplo, os bancos dão como garantia os títulos públicos adquiridos do Banco Central.

 

A Taxa SELIC é dividida em duas: a OVER e a META.

Taxa SELIC Over: é a taxa de juros praticada quando um banco empresta dinheiro para outro usando, como garantia, os títulos públicos comprados no Banco Central, como disse antes.

 

Taxa SELIC Meta: é a taxa utilizada nos noticiários, que representa a taxa básica da economia no Brasil, pois serve como parâmetro para todas as outras taxas praticadas no mercado. Ela tende a ser a menor taxa de juros que existe na economia – e é a taxa que você deve se ater em seus pensamentos e estratégias.

 

Como a Taxa SELIC é definida?

Além de servir como um parâmetro para as demais taxas da economia, o aumento e diminuição da SELIC também possui profunda influência no seu dia a dia e na economia do Brasil. Devido a sua importância, é fundamental que exista um meio transparente e confiável para decidir os rumos da mesma, e isso é feito através do COPOM.

Em 1996 o Brasil criou o Comitê de Política Monetária, responsável por definir a taxa de juros básica da economia e estabelecer as regras da quantidade de dinheiro em circulação no país. Para definir a taxa SELIC são realizadas no mínimo oito reuniões por ano: uma reunião a cada 45 dias.

 

Como a SELIC influencia seus investimentos

Nos Títulos Públicos o impacto imediato acontece no título indexado a ela, que no caso é a LFT, hoje mais conhecido como Tesouro SELIC. Nesse investimento o aumento da taxa também aumentará a rentabilidade, pois ele rende exatamente a sua variação. O mesmo acontece no caso da sua redução, que implicará em menor rentabilidade.

No caso da Caderneta de Poupança, a rentabilidade depende diretamente do valor dos juros SELIC vigente no período, e se divide em duas situações:

  • No primeiro caso a ser considerado, se a taxa SELIC está em patamar maior que 8,5% ao ano, a Caderneta de Poupança terá rendimento de 0,5% ao mês + a TR;
  • No segundo caso, se ela for menor ou igual a 8,5% ao ano, a Caderneta de Poupança terá um rendimento equivalente a 70% da taxa SELIC vigente no período.

 

No caso do CDI, podemos comparar com o que acontece na taxa SELIC over, que é a taxa de juros praticados nos empréstimos realizados entre um banco e outro, dando como garantia títulos públicos, assim como explicado anteriormente.

Acontece que ao invés de usar títulos públicos como garantia, os bancos podem usar seus próprios títulos privados baseados na solidez do próprio banco, chamados de Certificado de Depósito Interbancário, ou CDI. Se esses títulos forem utilizados como garantia entre empréstimos de um banco e outro, a taxa de juros usada será o CDI.

Nesse momento não vou entrar em detalhes sobre como funciona o CDI, mas considere que tanto o CDI quanto a SELIC possuem praticamente os mesmos valores e variam de maneira bem semelhante.

Dessa forma, se a taxa SELIC aumenta, o CDI também aumenta. Se a taxa SELIC cai, o CDI também cai. Desse modo, todo investimento de renda fixa que se baseia no CDI rende mais quando a taxa SELIC aumenta e menos quando ela diminui. Você pode conseguir detalhes sobre os diferentes tipos de produtos de renda fixa do podcast #81 ao podcast #88, em que tratei sobre CDBs, LCIs, LCAs e vários outros produtos de renda fixa.

 

Taxa SELIC e inflação

E como a taxa SELIC influencia o seu dia-a-dia?

Imagine que determinada pessoa esteja juntando dinheiro durante 6 meses para comprar o seu primeiro carro. Esse investidor fez uma simulação em um banco no começo de janeiro e, a partir disso, começa a poupar e economizar para financiar seu carro dentro do prazo estipulado.

O aumento da taxa SELIC pode fazer com que todo esse plano seja desestruturado. Isso porque ele pode não conseguir arcar com as prestações, uma vez que o aumento dos juros levaria a um aumento no valor das parcelas. Considerando que essa pessoa não irá mais fazer a compra devido ao aumento de custo, o dinheiro que ela pegaria emprestado em um financiamento e que circularia na economia deixará de existir.

De um modo geral essa situação aconteceria com outras pessoas que também comprariam menos, o que aumentaria a quantidade de produtos disponíveis no mercado. Quanto maior a oferta, menor o preço: portanto, nessa situação, uma alternativa para manter o ritmo das vendas seria o comércio diminuir os preços dos produtos, o que faria a inflação recuar.

 

Taxa SELIC influencia no consumo

Além disso, o aumento da taxa SELIC é um grande incentivador para as pessoas adiarem seu consumo para um momento futuro. Isso porque investimentos de renda fixa ficam mais atrativos, fazendo com que as pessoas prefiram investir o dinheiro que recebem a usá-lo para consumo imediato, e assim deixam para realizar o consumo depois quando resgatarem seus investimentos. No curto prazo essa é uma estratégia muito utilizada porque isso ajuda a diminuir a inflação, já que o consumo geral diminui, aumentando os estoques de produtos nas prateleiras e fazendo os preços baixarem.

 

Em resumo: Aumentar a taxa SELIC é a arma que o Governo tem para combater diretamente a inflação, da mesma forma que a diminuição da taxa permite correção dos preços e, consequentemente, aumento da inflação (o que geralmente é um preço que o governo aceita pagar para ter crescimento econômico).

Chegamos ao final desse podcast! Espero que tenha gostado do episódio de hoje!

 

Se você gostou curta, comente e compartilhe nossas publicações do Dicas Curtas nas redes sociais. E caso fique com alguma dúvida, me procura lá no grupo do Investidor Inteligente no Facebook, pois estarei à disposição para esclarecer todas elas. Assine e acompanhe esse podcast através do seu dispositivo Apple ou Android, sendo que você também pode encontrar o Investidor Inteligente no Spotify e no Deezer.

Agora um anúncio muito importante:

Sabia que a partir de agora você também pode ajudar o Dicas Curtas a crescer ainda mais fazendo parte do grupo de Apoiadores do Dicas Curtas?

Com incentivos a partir de 1 real por mês, você ajudará o Dicas Curtas a alcançar mais pessoas, incluir novos experts, e claro, ter acesso ao grupo de apoiadores no Facebook para receber conteúdos especiais e ter acesso a lives exclusivas para poder tirar suas dúvidas ao vivo com o expert de sua preferência.

Para ser um apoiador basta acessar o site: apoia.se/dicascurtas

O link vai estar disponível na descrição do episódio!

 

Ficamos por aqui e até a próxima semana com mais uma dica do Investidor Inteligente!Investidor Inteligente do Dicas Curtas

Pin It on Pinterest

Share This