Ouça agora este podcast!

“121 Bola-de-neve vs. Avalanche: qual é o melhor método de pagamento de dívidas?” Você se apruma, respira fundo e toma uma das decisões mais importantes da sua vida financeira: eliminar de uma vez por todas as suas dívidas! Contudo, qual método você deve usar? O método bola-de-neve ou o método avalanche? Não faz ideia do que estou falando, certo? Nesse podcast você vai aprender e entender o que são o método bola-de-neve e o método avalanche para a eliminação de dívidas, suas vantagens e suas desvantagens: e a partir daí, decidir qual é o melhor método para você!

Eu sou Phillip Souza, o expert em Finanças e Investimentos do Dicas Curtas e todas as semanas apresento o Investidor Inteligente, o podcast que te traz informações relevantes, orientações e estratégias valiosas que podem te ajudar a usar bem o seu dinheiro, seja para solucionar problemas financeiros ou potencializar sua vida financeira, de modo que você possa construir seus resultados com foco em qualidade de vida, aproveitando bem o presente e sempre cuidando do futuro, transformando-se em um investidor ainda mais inteligente.

Assine agora gratuitamente esse podcast, não perca nenhuma dica, fique por dentro com todas as informações e acompanhe todas as semanas o Investidor Inteligente do Dicas Curtas.

Talvez você já tenha ouvido falar do método de eliminação de dívidas bola-de-neve (que daqui para frente vou chamar de bola-de-neve); ele é semelhante, mas tem diferenças em relação ao seu meio-irmão, o método de eliminação de dívidas avalanche (que daqui para frente vou chamar de avalanche).

Esses dois métodos são praticamente iguais, pois ambos sugerem que a pessoa realize os pagamentos mínimos em todas as dívidas que possui, com exceção de uma dívida que se torna foco para ser eliminada mais rapidamente.

Em qualquer um dos métodos, todo recurso extra é direcionado ao pagamento de uma dívida-foco. Assim que ela for eliminada, a próxima dívida na fila se tornará a nova dívida-foco. À medida que a pessoa paga suas dívidas e seus pagamentos mínimos desaparecem, ela terá mais e mais dinheiro para direcionar aos pagamentos adicionais à dívida na qual está focado (daí a analogia da bola-de-neve ou avalanche, começa pequeno e o volume vai aumentando).

A única diferença entre a bola-de-neve e a avalanche é a ordem em que a pessoa pagará suas dívidas. Alguns escritores de finanças pessoais argumentam zelosamente que um é melhor que outro; contudo, desde que sua dívida diminua, trata-se mais de uma questão de preferência pessoal (apesar de terem algumas diferenças que vão ser apresentadas nesse episódio).

 

O método BOLA-DE-NEVE

Com o método bola-de-neve a pessoa paga suas dívidas do MENOR SALDO PARA O MAIOR SALDO, independentemente das taxas de juros.

A razão para isso é que muitas vezes as pessoas têm muitas dívidas: são muitos boletos, muitas contas chegando todos os meses, muitos pagamentos mínimos para realizar e isso é sufocante. Contas médicas de vários lugares diferentes, pequenos saldos aqui e ali em lojas ou em cartões de crédito, dinheiro emprestado de membros da família: muita conta miúda que quando você olha parece ter dívida em tudo que é lugar e dá a sensação que você deve ainda mais dinheiro!

Quando você paga suas dívidas do menor saldo para o maior saldo, você começa a liquidá-las rapidamente. Dependendo da sua situação financeira, você pode até se livrar de uma dívida inteira todo mês nos primeiros meses.

Isso traz um grande poder motivacional: você vê que sua vida financeira está progredindo rapidamente e começa a sentir que realmente pode organizar de uma vez por todas a situação! Então, quando você começar a lidar com dívidas maiores, como o financiamento do carro ou o grande saldo do cartão de crédito, você terá mais confiança, capacidade e fluxo de caixa extra para chegar ao fim e liquidar tudo!

 

O método AVALANCHE

No método avalanche a pessoa paga suas dívidas da TAXA DE JUROS MAIS ALTA À TAXA DE JUROS MAIS BAIXA, independentemente do saldo.

Matematicamente isso faz mais sentido. A pessoa pagará menos juros se enfrentar suas dívidas nessa ordem. Economizar dinheiro com juros significa que a pessoa pagará suas dívidas mais rapidamente. Afinal, o objetivo de sair das dívidas não é fazer isso o mais rápido possível?

Quando se enfrenta primeiro a maior taxa de juros a pessoa obtém o melhor retorno possível. Por que pagar uma dívida que não está cobrando juros quando você tem um cartão de crédito cobrando 15% ao mês?

 

O segredo que ninguém conta

Algumas pessoas têm opiniões muito firmes sobre qual é o melhor método. Alguns especialistas e seus seguidores são muito inclinados ao método bola-de-neve. Outros especialistas (e seus seguidores) consideram a vantagem matemática do método avalanche e não conseguem entender o motivo que as pessoas em geral não a percebem.

 

Mas eis que te conto o segredo: na prática, isso quase não importa!

A melhor maneira de quitar as dívidas é fazer os pagamentos mínimos de todas as suas dívidas, exceto a dívida-foco. Foque em apenas uma dívida e envie cada real extra que puder para essa dívida até que ela seja exterminada. Agora, qual dívida você escolhe faz pouca diferença! Qual método você escolhe (se bola-de-neve, se avalanche), faz pouca diferença. Vou te presentear com uma planilha em que poderá comparar os métodos e decidir por conta própria. Basta acessar o grupo do Investidor Inteligente no Facebook para baixa-la gratuitamente! Vamos fazer algumas contas para ilustrar.

Vamos exemplificar com um casal, Pedro e Ana, com as seguintes dívidas levantadas em janeiro de 2020 (esse exemplo está na planilha, ok?!):

  • Financiamento do carro: saldo de R$12.000; taxa de 1,00%am; pagamento mensal R$600
  • Parcelamento do cartão de crédito do Pedro: saldo de R$5.000; taxa de 6,00%am; pagamento mensal R$700
  • Parcelamento do cartão de crédito de Ana: saldo de R$7.000; taxa de 7,00%am; pagamento mensal R$1.000
  • Financiamento Estudantil de Ana: saldo de R$15.000; taxa de 1,00%am; pagamento mensal R$350

 

Juntos, eles decidiram que podem pagar R$3.000 por mês para pagamentos de dívidas, incluindo todos os pagamentos mínimos. Pedro quer pagar suas dívidas usando o método avalanche, focando na dívida que tem a taxa de juros mais alta primeiro (no caso, o parcelamento do cartão da Ana). Mas Ana quer usar o método bola-de-neve, focando no pagamento do saldo mais baixo primeiro (no caso, o parcelamento do cartão de crédito de Pedro).

  • Usando o método avalanche, o casal estará livre de dívidas após 17 meses. Eles pagarão R$9.561,54 em juros.
  • Usando o método bola-de-neve, o casal estará livre de dívidas após 17 meses. Eles pagarão R$9.949,44 em juros.

Nesse exemplo, não existe diferença de tempo, só uma diferença de R$387,90 em 17 meses, que dá R$22,82 por mês.

É claro que não estou dizendo que não possa existir negociação dos juros ao longo do processo, portabilidade de crédito, troca de dívidas, etc. Pode e deve. Mas o ponto é que tanto faz se um método ou outro é adotado como forma de pagamento das dívidas: no método bola-de-neve a motivação é crescente porque as dívidas com saldo menor são eliminadas mais rapidamente; no método avalanche, existe vantagem financeira que, principalmente no longo prazo, não faz tanta diferença assim. O que deve acontecer é escolher a dívida que mais te incomoda e resolvê-la. Em seguida, passar para a próxima dívida que mais te incomoda e assim por diante.

 

Espero que tenha gostado do episódio de hoje! Os métodos bola-de-neve e avalanche são praticamente idênticos, pois a pessoa poderá pagar sua dívida rapidamente (dependendo da quantidade de dívida que possui, é claro). A motivação durante o processo é um dos fatores mais importantes, senão o fator mais importante do que alguns reais extras economizados em juros, pois o pior resultado é desistir do plano de eliminação das dívidas, fazer novas dívidas e voltar a ficar endividado.

 

Quer conferir com seus próprios números? Você pode fazer o download da planilha que desenvolvi que calcula as variações de acordo com o método bola-de-neve ou com o método avalanche ou com alguma ordem personalizada que você queira. Basta acessar o grupo do Investidor Inteligente no Facebook para baixar gratuitamente sua planilha!

 

Se você gostou curta, comente e compartilhe nossas publicações do Dicas Curtas nas redes sociais. Ficou com alguma dúvida? Basta, primeiro, entrar no grupo do Investidor Inteligente no Facebook e, depois, postar sua pergunta, pois estarei à disposição para esclarecer todas elas.

 

Assine e acompanhe esse podcast através do seu dispositivo Apple ou Android, sendo que você também pode encontrar o Investidor Inteligente no Spotify e no Deezer.

 

Agora um anúncio muito importante:

Sabia que a partir de agora você também pode ajudar o Dicas Curtas a crescer ainda mais fazendo parte do grupo de apoiadores?

 

Com incentivos a partir de 1 real por mês, você ajudará o Dicas Curtas a alcançar mais pessoas, incluir novos experts, e claro, ter acesso ao grupo de apoiadores no Facebook para receber conteúdos especiais e ter acesso a lives exclusivas para poder tirar suas dúvidas ao vivo com o expert de sua preferência.

Para ser um apoiador basta acessar o site: apoia.se/dicascurtas.

O link vai estar disponível na descrição do episódio!

 

Ficamos por aqui e até a próxima semana com mais uma dica para a sua vida financeira!

Aqui é Phillip Souza, o Investidor Inteligente!

Investidor Inteligente do Dicas Curtas

Pin It on Pinterest

Share This