Ouça agora este podcast!

“130 Circuit-breaker: pânico ou oportunidade?”

Nessa semana, os investidores novatos foram realmente iniciados na bolsa de valores: aconteceu um circuit-breaker. As movimentações negativas que são muito bruscas acionam esse mecanismo de proteção contra perdas.

Muita gente assustou e, na verdade, a velocidade com que tudo acontece impressiona, mas, dependendo de sua estratégia esse vermelhão pode representar oportunidades. Vamos entender melhor o que é circuit-breaker e sobre qual lente devemos olhar o mercado de ações nessas movimentações intensamente negativas.

Eu sou Phillip Souza, o expert em Finanças e Investimentos do Dicas Curtas e todas as semanas apresento o Investidor Inteligente, o podcast que te traz informações relevantes, orientações e estratégias valiosas que podem te ajudar a usar bem o seu dinheiro, seja para solucionar problemas financeiros ou potencializar sua vida financeira, de modo que você possa construir seus resultados com foco em qualidade de vida, aproveitando bem o presente e sempre cuidando do futuro, transformando-se em um investidor ainda mais inteligente.

Assine agora gratuitamente esse podcast, não perca nenhuma dica, fique por dentro com todas as informações e acompanhe todas as semanas o Investidor Inteligente do Dicas Curtas.

O Ibovespa, principal índice acionário da B3, a bolsa brasileira, atingiu o circuit-breaker por volta das 10h30 desta segunda-feira, 9 de março/20. As perdas chegaram a 10%, aos 88.828 pontos. Quando isso acontece as negociações congelam acontecendo o circuit-breaker.

 

Mas, afinal, o que é e como funciona o circuit-breaker?

O mecanismo de proteção é ativado quando há perdas ou ganhos de 10%, numa tentativa de defender o índice da volatilidade dos mercados e permitir o rebalanceamento das operações. É meio que a ideia de dar uma acalmada nos ânimos, tomar uma água, um cafezinho, e tentar avaliar um pouco melhor o que está acontecendo com toda a poeira que foi levantada. Essa semana os mercados globais estão em pânico com o preço do petróleo e os receios com o Coronavírus, que, como bem sabemos tem sido uma das principais causas de tanto estresse e nervosismo no mercado. Como assim?

Se pegarmos os resultados dos últimos 30 dias aproximadamente, perceberemos que o principal índice da bolsa de valores, o Ibovespa tem tido oscilações bem intensas: na quarta-feira antes do Carnaval, o Ibovespa fechou em queda de 7%; e no resto da semana após o Carnaval de 2020, fechou a semana com duas quedas consecutivas (na quinta e na sexta) de mais de 4%. Muito estresse no mercado mundial que acaba impactando diretamente o mercado financeiro, especialmente a bolsa de valores.

Falando ainda de circuit-breaker, o que acontece com a bolsa? Quando há variação de 10%, as operações ficam paradas por 30 minutos. Na volta da pausa, se o Ibovespa oscilar 15% em relação ao fechamento anterior, a bolsa pode suspender as negociações por até 1 hora. Se a variação atingir 20%, a sessão fica parada por tempo indefinido. E claro, isso tudo é comunicado imediatamente ao mercado. Considerando que o fechamento da última sexta-feira (6/março) foi a 97.997 pontos, se o índice chegasse a 83.297 pontos poderia acontecer a ativação de um segundo circuit-breaker, fazendo com que o mercado paralisasse por mais 1 hora. Se o índice chegasse à marca de 78.397 pontos, as negociações parariam por período indefinido.

 

Quais foram as justificativas dadas para o circuit-breaker dessa semana?

Após a discordância entre Rússia e OPEP em relação aos cortes de produção, a petroleira estatal da Arábia Saudita, a Saudi Aramco, está oferecendo petróleo a preços abaixo dos preços oficiais. Além disso, o país faz preparativos para elevar a sua produção para mais de 10 milhões de barris ao dia (mbpd).

Com isso, o preço do barril de petróleo chegou a cair 30%. O petróleo Brent está cotado na faixa de 37-38 dólares (dados de 10/março), mas na segunda-feira o preço despencou mais de 30%, saindo de pouco mais de US$45/barril na sexta-feira (6/março) indo na mínima de US$31/barril (9/março). A situação também derrubou moedas emergentes, como o peso mexicano.

Enquanto isso, o Coronavírus continua a assustar os mercados, alcançando novos níveis na Itália, o segundo país com maior número de casos, com mais de 7 mil infectados. Milão, importante centro econômico, está em quarentena.

Contudo, no Brasil, segundo o Ministério da Saúde, até então, os casos confirmados chegaram a 34, sem nenhum óbito. E no mundo as ocorrências do COVID-19 passam de 110 mil e as mortes chegam a 3.800 pessoas.

 

Qual é o histórico dos circuit-breakers do Ibovespa?

Para quem está acessando a renda variável nos últimos 2 ou 3 anos talvez essa super oscilação tenha sido um baita susto; para outros um grande desespero. Eu já estive no meio do furacão algumas vezes. A última vez que os negócios do Ibovespa tinham sido interrompidos havia sido no “Joesley Day”, em 18 de maio de 2017, quando o então presidente Michel Temer havia sido envolvido em denúncias de corrupção, às vésperas da aprovação da reforma da previdência no Congresso.

Antes disso, a crise do subprime em 2008 o pregão chegou a ser interrompido por 4 vezes durante 30 minutos, além de 1 vez por 1 hora. Em 2001, a bolsa parou com o ataque às Torres Gêmeas, em Nova York, seguindo os mercados internacionais.

 

A oportunidade escondida atrás das fortes quedas

Não tem como prever quando vai acontecer um circuit-breaker. O que você pode ter certeza é: em algum momento vai acontecer novamente. São eventos raros que fazem parte do percurso daqueles que investem em renda variável, na bolsa de valores.

Esses eventos podem ser momento de muita oportunidade. Dependendo da lente que você olha essa situação (ou até situações similares com oscilações negativas fortes que não necessariamente são circuit-breakers) e da sua estratégia de investimento, essas são oportunidades de ouro. Como assim? Se você investe em renda variável com foco na formação patrimonial, foco na formação de renda passiva e independência financeira saiba que essas super oscilações negativas são, na verdade, super descontos para a compra de ações na bolsa de valores!

Pensa comigo: digamos que uma ação de uma empresa antes de uma oscilação negativa forte esteja cotada a R$50 e que, no histórico, a distribuição de dividendos seja de 5% ao ano (isso é o que chamamos de dividend yield, o lucro que é repartido com o acionista): ou seja, a empresa distribuiu, em média R$2,50/ação se tomarmos como referência essa cotação de R$50. E digamos que você investe regularmente em renda variável; nesse caso, você sempre investe R$500 nessa mesma ação, ou seja, compra, em média, 10 ações por vez (estou excluindo aqui valorizações, só para exercitarmos o raciocínio, ok?). Em um processo de queda forte, desde que a empresa esteja saudável (e nessas oscilações fortes generalizadas a qualidade da empresa, ou seja, seus fundamentos não costumam mudar), digamos que essa ação caia 26% chegando a R$37, como aconteceu com várias empresas nesse circuit-breaker de 9 de março/20. Primeiro ponto: com os mesmos R$500 você compra mais ou menos ações? Mais. Nesse exemplo, conseguiria comprar mais 3 ações dessa empresa fictícia. Consequentemente, se os dividendos se mantiverem no mesmo patamar você ganha mais ou menos com isso? Mais: pelo menos para essa compra mais barata, se os dividendos se mantiverem a R$2,50 o seu dividend yield vai para 6,75%. Com esse circuit-breaker foi possível encontrar oportunidades com yields próximos de 9%.

Esse é um novo cenário de oportunidades na renda variável: várias empresas abaixo de seu valor patrimonial, margens de segurança razoavelmente elevadas e com yields interessantes. Tudo o que grandes investidores mais gostam.

Agora, é fácil controlar o emocional e ver o seu patrimônio derretendo e comprar mais? Não, não é. Tem que ter uma mentalidade muito alinhada com a visão de longo prazo para entender essa dinâmica de que preços baixos significam compras com belos descontos, desde que os produtos selecionados (as ações) sejam de qualidade. E isso se traduz em construir seu patrimônio em renda passiva (os ganhos com dividendos) de forma mais barata; sua independência financeira se aproxima mais rápido quando as ações estão em baixa e a qualidade se mantém.

Vamos olhar para o longo prazo? Joesley-day, circuit-breaker, o Ibovespa fecha a 61.597 pontos. Qual foi o patamar recente que o Ibovespa alcançou no último pregão de 2019 (não vou nem colocar esse ano)?. Estava operando na casa de 115 mil pontos. Em quase 3 anos desde o último circuit-breaker o Ibovespa quase que dobrou; e detalhe: não estou falando de ações individuais, estou falando do principal índice da bolsa que é uma média das principais ações em toda bolsa de valores. Pensa…

Ah, e uma coisa importante para aqueles que já têm uma compreensão saudável do funcionamento da renda variável: somos tentados a mexer com nossas reservas de emergência nesses movimentos expressivos de queda? Somos. A escolha sobre o que fazer com o seu dinheiro é sua, mas se você quer uma recomendação aqui vai: reserva de emergência não deve ser colocada em renda variável porque renda variável varia! Cuidado com sua estratégia. Se você não está pronto para investir em renda variável porque ainda está formando suas reservas básicas, paciência… mas tome cuidado com as decisões que toma, pois a ganância nunca foi uma boa companheira para o ser humano. Outras oportunidades vão surgir, o mercado vai ter movimentos de queda, mas cuidado para não se desproteger de modo que você possa se arrepender. O investidor de longo prazo vai experimentar oscilações negativas e positivas e muito provavelmente um novo circuit-breaker, sabe-se lá quando… mas seja prudente em relação àquilo que você faz com o seu dinheiro que pode ser sua segurança, ok!? Investir em renda variável significa aproveitar boas oportunidades, mas mais que isso: significa constância e foco no longo prazo.

Espero que tenha gostado do episódio de hoje! Se você está tendo a oportunidade de comprar ações nesse momento de queda expressiva, parabéns! É bem provável que esse momento ajude bastante em sua estratégia, principalmente se for na formação de sua reserva previdenciária, a sua independência financeira. Se você está apenas assistindo, seja porque não tem recursos para investir ou porque está em outra fase, como a construção de sua reserva de emergência, não desanime: se você entender, estudar e tiver inclinação para a renda variável, em breve você vai poder aproveitar contextos como esse. Lembre-se: oportunidades existem no mercado todos os dias, algumas são especiais, mas sempre existem!

 

Se você gostou curta, comente e compartilhe nossas publicações do Dicas Curtas nas redes sociais. Ficou com alguma dúvida? Basta, primeiro, entrar no grupo do Investidor Inteligente no Facebook e, depois, postar sua pergunta, pois estarei à disposição para esclarecer todas elas.

 

Assine e acompanhe esse podcast através do seu dispositivo Apple ou Android, sendo que você também pode encontrar o Investidor Inteligente no Spotify e no Deezer.

 

Agora um anúncio muito importante:

Sabia que a partir de agora você também pode ajudar o Dicas Curtas a crescer ainda mais fazendo parte do grupo de apoiadores?

Com incentivos a partir de 1 real por mês, você ajudará o Dicas Curtas a alcançar mais pessoas, incluir novos experts, e claro, ter acesso ao grupo de apoiadores no Facebook para receber conteúdos especiais e ter acesso a lives exclusivas para poder tirar suas dúvidas ao vivo com o expert de sua preferência.

Para ser um apoiador basta acessar o site: apoia.se/dicascurtas.

O link vai estar disponível na descrição do episódio!

Ficamos por aqui e até a próxima semana com mais uma dica para a sua vida financeira!

Aqui é Phillip Souza, o Investidor Inteligente!

Investidor Inteligente do Dicas Curtas

Pin It on Pinterest

Share This