Ouça agora este podcast!

“145 Como fazer mais dinheiro?”

Uma das principais habilidades financeiras, talvez a mais importante no que se trata de finanças, é a capacidade de se fazer dinheiro. No mundo em que vivemos, salvo poucas exceções, sem recurso financeiro disponível não existe possibilidade de comprar aquilo que precisamos para sobreviver e manter nossas vidas, ainda mais, não existe possibilidade de fazer sobrar seja para consumir depois na realização de um sonho ou direcionar o recurso para investimentos, sejam eles financeiros ou não. Portanto, essa é uma das três habilidades financeiras essenciais que basicamente são: fazer dinheiro, usar dinheiro e investir dinheiro. Em meu site (www.PhillipSouza.com.br) tem um ebook gratuito disponível para você baixar e entender um pouco melhor essas 3 macro habilidades, ok?!

Se fazer dinheiro é uma habilidade significa que qualquer ser humano pode aprender: algumas pessoas vão precisar de maior esforço, outras de menos esforço. Portanto, se você está escutando esse podcast e ainda não tem essa capacidade desenvolvida, você é um candidato para fazê-la florescer em sua vida.

Você está escutando o podcast do Investidor Inteligente; todas as semanas você pode nutrir a sua vida financeira com informações gratuitas de qualidade, apresentadas de forma bastante harmônica, lançando luz sobre diversos assuntos relacionados à finanças e investimentos.

Eu sou Phillip Souza, palestrante e consultor financeiro especialista em finanças pessoais e desenvolvimento humano, o expert em Finanças e Investimentos do Dicas Curtas; tenho o importante desafio de te auxiliar na tarefa de provocar evolução em seu comportamento a partir da desconstrução, reconstrução e transformação da sua mente para que você possa ampliar sua percepção, aprender, evoluir e se comportar de forma mais sábia e próspera em relação às suas finanças, transformando-se em um investidor ainda mais inteligente.

 

Esse e os outros podcasts do Dicas Curtas são gratuitos. Portanto, você pode seguir e assinar agora o Investidor Inteligente nas diferentes plataformas de podcast em seu smartphone para ficar por dentro com todas as informações, não perder nenhuma dica e acompanhar todas as semanas os novos episódios para poder usar bem o seu dinheiro no presente e investir pensando no futuro!


Fazer dinheiro é uma recomendação antiga de vários gurus e especialistas, sendo que um jargão comum é “você deve ter pelo menos 7 fontes diferentes de receitas”. Ou seja, ter dinheiro fluindo para você é tão importante quanto saber usar e saber investir bem os recursos financeiros que você administra ou dispõe. E a habilidade de fazer dinheiro ficou ainda mais evidente nessa época de tremendas incertezas.

Se você é  funcionário de empresa privada percebeu que o risco de demissão ficou bem à espreita, seja por dificuldade dos negócios por parte do empregador, seja por mudanças no desempenho das atividades da empresa em seu nicho de atuação; se você é empresário ou profissional liberal, o risco de perda ou diminuição de receitas também ficou bem evidente: mudança no cenário de negócios, queda de demanda e consequente queda de receitas demonstraram que tudo pode mudar em pouquíssimo tempo; e se você é funcionário público ou depende do Governo para ter renda, a insegurança, a falta de garantia de recebimento se tornou um assunto bastante sensível e delicado. Portanto, se saber construir diferentes fontes de receita era recomendado, agora se tornou bastante necessário.

Não saber fazer dinheiro é um erro que pode se tornar um problema ainda maior que é gerar falta de dinheiro em sua vida: se sua principal e talvez única fonte de recursos financeiros secar ou tiver problemas no fluxo, você, sua família ou as pessoas que dependem de você podem se encontrar em uma situação extremamente delicada. É claro que todos os desafios que enfrentamos existem pessoas e situações que podem facilitar ou dificultar nossa vida; mas apesar disso, diferentemente de filmes de super-heróis, você é o protagonista da sua história, portanto, a responsabilidade de construir meios para que sua vida financeira flua é sua; o meu papel e de outras pessoas que trabalham com serviços e treinamentos em desenvolvimento pessoal e financeiro é sermos mentores, pessoas que podem te ajudar a avançar com mais facilidade e com menos erro em sua caminhada.

É sobre isso que vamos conversar em 3 podcasts: sobre como fazer mais dinheiro. Nesse podcast vamos tratar de algumas terminologias importantes, aumentando seu entendimento e seu vocabulário financeiro, além de apresentar as 3 principais formas de se fazer dinheiro (3 categorias para organizar nosso raciocínio); no próximo podcast trataremos de conversar sobre as principais maneiras de se fazer mais dinheiro que identifiquei dentro das 3 categorias que vamos aprender hoje – lembrando que não são milhões de ideias, apenas as que entendi que são mais adequadas; e no último podcast dessa série vou te apresentar as 10 melhores maneiras (na minha opinião) de se fazer mais dinheiro, e te dar uma dica bônus apresentando os 5 critérios de classificação em relação à alguma oportunidade que você entenda que possa trazer mais dinheiro para sua vida.

 

Terminologias

Na internet existem inúmeras informações, vídeos e textos que falam sobre como ganhar mais dinheiro. Eles usam vários termos de geração de dinheiro que projetam nas buscas do Google rankings elevados o que leva muitas pessoas a acessarem páginas com informações que, muitas vezes, pouco agregam. É também por isso que eu queria abordar alguns termos sobre como fazer dinheiro antes de começarmos.

 

Ganhar dinheiro x Fazer dinheiro

Os primeiros termos que você já deve ter percebido eu falar é sobre fazer dinheiro e ganhar dinheiro. Observe que eu disse “ganhar dinheiro” apenas agora, porque tem uma implicação psicológica sutil que quero que você aprenda a discernir.

Ganhar dinheiro implica em uma situação passiva passa a ideia de que algo ou alguém te dá dinheiro; e essa ideia te passa a impressão inconsciente de que é presente, é necessariamente fácil. Você faz alguma coisa e alguém é obrigado a te dar ou te pagar algum dinheiro. E sabemos que não funciona assim…

Fazer dinheiro, por outro lado, te coloca em uma postura ativa; você tem que produzir alguma coisa, trabalhar com alguma coisa, desenvolver alguma coisa ativamente para que esse recurso seja gerado, produzido. Não se trata de abolir a ideia de renda passiva (que já vamos tratar sobre), mas sim de te colocar em uma postura ativa e que você vai precisar fazer algum esforço, gastar algum tempo e talvez dispor de algum dinheiro para produzir mais dinheiro.

 

Renda passiva

Outro termo que você provavelmente já ouviu com bastante frequência é sobre “renda passiva”.

Veja como a Wikipedia o define:

Renda passiva é aquela que exige pouco ou nenhum esforço para ganhar e manter. É chamado renda passiva progressiva quando a pessoa que a recebe tem pouco esforço para aumentar a renda. Exemplos de renda passiva incluem renda de aluguel e quaisquer atividades comerciais das quais a pessoa não participe diretamente.

Se você ler blogs sobre dinheiro, sites e livros populares, provavelmente vai construir uma noção de que a renda passiva requer tempo zero e muito pouco esforço, se é que existe. Você simplesmente faz alguma coisa (cria um produto, investe, etc.) e fica sentado pelos próximos 40 anos enquanto o dinheiro chega.

Mas a definição não passa essa impressão. Ela inclui a expressão “nenhum esforço para ganhar e manter“, mas sabemos que quase tudo que fazemos requer algum esforço. É por isso que a definição termina com “das quais a pessoa não participa diretamente“.

Em outras palavras, a renda passiva geralmente requer menos tempo do que trabalhar de 9h às 18h. Mas ela exige algum esforço – pequeno, mas existe. Devido à maneira como esse termo tem sido usado e devido aos vários níveis de passividade, não gosto de usar muito o termo “renda passiva”. Eu prefiro “renda” ou “ganho” com uma observação de qual será o custo: seja em tempo, em dinheiro ou ambos.

 

Renda recorrente

O próximo termo é a “renda recorrente” (ou “receita recorrente” se você estiver falando de uma empresa).

A Wikipedia o define assim:

Receita recorrente é a receita que provavelmente continuará sendo gerada regularmente por um período significativo de tempo. É normalmente usada por empresas que vendem assinaturas ou serviços. Poderia assumir a forma de faturas pagas mensalmente pelos consumidores ou contratos comerciais com duração de vários anos. Um exemplo disso são os contratos mensais por telefone: a menos que o contrato seja quebrado ou o cliente não pague, a empresa de telefonia terá receita mensal garantida durante o contrato, geralmente 2 anos.

Para um indivíduo, a renda recorrente seria algo que ocorre regularmente por um longo período de tempo. Por exemplo, a compra de um título de longuíssimo prazo, como os Tesouros Pré-fixado ou, principalmente, Tesouro IPCA com pagamento de juros semestrais proporcionaria renda recorrente em um valor especificado por longos períodos, algumas décadas dependendo do vencimento do título. Não costumo usar esse termo dessa forma, mas uso o conceito ao avaliar várias oportunidades de renda. Você entenderá melhor no último podcast desta série.

 

Múltiplos Fluxos de Renda

Por fim, temos “múltiplos fluxos de renda”.

Aqui está a definição:

Múltiplos fluxos de renda significa que você tem renda de várias fontes diferentes. Se uma fonte parar ou for eliminada, você poderá confiar em outra fonte. Às vezes, leva um tempo para estabelecer seus fluxos de renda individuais.

Em outras palavras: múltiplos fluxos de renda são simplesmente várias fontes diferentes de receita. Eu gosto desse conceito (quem não gosta?) e costumo usá-lo com alguma frequência quando estamos tratando sobre como fazer mais dinheiro.

 

3 maneiras de se fazer dinheiro

Agora que já resolvemos essa questão da linguagem, vamos falar sobre o que realmente quero tratar neste podcast: as 3 maneiras de se fazer dinheiro, de se obter renda. A primeira categoria trata-se do uso do tempo; a segunda sobre criação; e a terceira sobre investimento.

 

Uso do tempo

Nesta categoria, você troca seu tempo por dinheiro: isso inclui técnicas, habilidades, tudo o que você pode oferecer em termos de trabalho ativo. É a forma de fazer dinheiro que exige que você seja mais do que um participante ocasional para produzi-lo. Na verdade, seu tempo e esforço estão em função de gerar renda. Se você parar de trabalhar, a fonte de renda geralmente seca ou diminui rapidamente.

Exemplos desse tipo de renda incluem:

  • Carreira ou trabalho principal: você vai trabalhar e é pago. Se você não for trabalhar, não será pago. Simples assim.
  • Negócios paralelos: estes são os negócios que você cria. Alguns têm aspectos que permitem ganhar se você não estiver trabalhando ativamente por algum tempo, mas a maioria dos verdadeiros negócios paralelos exigem a troca do seu tempo, esforço e energia por dinheiro.

 

Criação

Aqui você cria algo para vender ou alugar por dinheiro. Geralmente, requer uma grande quantidade de tempo na produção e, em seguida, um compromisso de manutenção, se for o caso. Geralmente não requer um grande investimento de dinheiro, apesar de poder acontecer.

Exemplos desse tipo de renda incluem:

  • Escrever um livro ou eBook
  • Vender fotografias
  • Escrever, criar e licenciar músicas

Uma distinção entre essa categoria e a anterior é que com essa geralmente há um grande gasto de tempo antecipadamente, seguido de uma demanda de tempo menor. A primeira categoria requer um compromisso de esforço e tempo contínuos.

Por exemplo, em minhas pesquisas encontrei um site gringo chamado Etsy em que ocorre a comercialização de itens únicos (eu vi muitas peças vintage aparentemente exclusivas por lá). Você poderia, por exemplo, criar gravatas personalizadas e vendê-las no Etsy: nesse caso, fazer isso trata-se de um método de ganho baseado em tempo, mesmo que envolva a criação de algo. Você cria uma gravata, a vende e produz dinheiro. Basta repetir o processo para conseguir mais dinheiro. Se você não faz gravatas e não as vende, você não produz dinheiro. Seu ganho está vinculado diretamente ao seu tempo e esforço.

Por outro lado, você pode criar um eBook sobre como criar um negócio de gravatas e vendê-lo na Amazon, por exemplo. Provavelmente, isso exigirá uma quantidade significativa de tempo para desenvolver o material, mas depois de pronto o livro poderá ser vendido, vendido e vendido com muito menos investimento de tempo. Você ainda terá que fazer marketing, administração, atualizações e coisas do tipo, mas o tempo cairá drasticamente e muitas vendas ocorrerão sem muito envolvimento direto.

 

Investimento

Nesta categoria, você substitui o grande gasto de seu tempo e esforço por dinheiro. Nesse caso, você entra em uma oportunidade de gerar renda. Isso não quer dizer que não haverá compromisso de tempo porque vai existir sim, mas geralmente essa categoria exige menos tempo e mais dinheiro do que as outras duas.

Exemplos desse tipo de renda incluem:

  • Imóveis (em suas diversas formas, seja físico, seja fundo imobiliário ou qualquer coisa relacionada)
  • Empréstimos privados (como debêntures e similares)
  • Empresa na qual você compra e outra pessoa administra (seja através de ações ou a compra de uma empresa efetivamente)

Nesta categoria, você pode comprar um negócio de gravata, deixando seus outros parceiros administrá-lo, mas ainda obter uma porcentagem dos lucros em troca de seu investimento.

 

Outros tipos de renda

É claro que você pode dividir as categorias apresentadas em quantos grupos quiser. Por exemplo, muitas vezes pode colocar o setor imobiliário como uma categoria exclusiva das outras. Você também pode dividir as ideias de “Criação” em grupos como “royalties” e “itens para venda”. Não tem certo nem errado; apenas, no meu caso, prefiro ter as coisas mais simplificadas.

Existem outras possíveis categorias de renda? Provavelmente sim, mas nesse momento eu não consigo pensar em nada. Se você souber ou quiser acrescentar, vou te pedir que participe conosco comentando nas publicações relacionadas a esse podcast nas redes sociais, tanto no Instagram (@dicascurtas) quanto na fanpage do Investidor Inteligente no Facebook.

 

No próximo podcast vamos continuar com essa conversa apresentando oportunidades que identifiquei que podem entrar nessas três categorias de modo a organizar seu pensamento e te ajudar a focar em produzir mais dinheiro.

O podcast do Investidor Inteligente também pode ser um pouco seu! Acesse a transcrição no blog do Dicas Curtas caso queira deixar algum comentário para esse episódio! E você também pode participar mais fazendo a mesma coisa encontrando a postagem no perfil do Dicas Curtas tanto no Instagram (siga @dicascurtas) quanto na fanpage do Investidor Inteligente no Facebook. Aproveita para seguir o perfil, curtir a página e as postagens, marcar seus amigos e compartilhar com eles o que você está aprendendo aqui!

Caso queira, você também pode participar da comunidade exclusiva do Investidor Inteligente no Facebook, expondo suas dúvidas, dando suas sugestões de novos temas e apresentando postagens que agreguem à comunidade: para manter o grupo saudável, só não vale postar spam e nem publicidade, ok?!

E claro, se você tiver dúvidas que caibam algum trabalho específico, seja algum atendimento ou consultoria para sua vida financeira pessoal ou em seu negócio ou empresa (no formato de palestras e treinamentos) basta entrar em contato comigo por e-mail ou pelas redes sociais: você me encontra através do @phillipsouzabr.

Todos os links estão na transcrição no blog e na descrição dos episódios.

Assine agora e acompanhe esse podcast através do seu dispositivo Apple ou Android, sendo que você também pode encontrar o Investidor Inteligente pelos apps Spotify ou Deezer.

Aproveite bem a sua semana, aproveite bem o seu tempo e aproveite bem as oportunidades que a vida te oferece. Cuide bem de você, de sua família e de suas finanças! Que Deus te abençoe!

 

Aqui é Phillip Souza, o Investidor Inteligente!

Investidor Inteligente do Dicas Curtas

Pin It on Pinterest

Share This