Ouça agora este podcast!

“085 Como funciona a Letra de Câmbio?”Guardar dinheiro na Caderneta de Poupança é algo que já ficou no passado. Com isso novos tipos de investimento têm atraído cada vez mais atenção, como investir na bolsa de valores ou em produtos de renda fixa como o Tesouro Direto, as Letras de Crédito, CDBs e, para alguns investidores, os Certificados de Recebíveis. Esses produtos foram bem detalhados nos últimos podcasts. Muitas pessoas, porém, ainda não sabem o que é uma Letra de Câmbio: e é justamente sobre isso que vamos aprender nesse podcast!

Eu sou Phillip Souza, o expert em Finanças e Investimentos do Dicas Curtas e todas as semanas apresento nesse podcast, várias dicas, informações e orientações para ajudar a fazer com que você use bem o seu dinheiro para construir seus resultados de forma financeiramente saudável com foco em qualidade de vida, aproveitando o presente e cuidando do futuro, transformando-se em um investidor inteligente.

Para você ficar por dentro com todas as informações e não perder nenhuma dica, basta assinar gratuitamente o podcast e acompanhar todas as semanas o Investidor Inteligente do Dicas Curtas.

O que é Letra de Câmbio?

Letras de Câmbio são títulos de renda fixa, como o CDB. São oferecidas por sociedades de crédito, investimento e financiamento, conhecidas como Financeiras, onde o emitente é o devedor, o beneficiário é a pessoa física ou jurídica que investe o seu dinheiro, e o aceitante é a financeira. Antes de tudo, é importante destacar que a Letra de Câmbio é um título de Renda Fixa, muito procurado por sua boa rentabilidade.

Comprar um título de Renda Fixa é como emprestar dinheiro ao emissor do papel em troca de remuneração, o que ocorre em forma de juros e correção monetária. A Letra de Câmbio funciona mais ou menos da mesma forma quando você investe em um banco para que o mesmo tenha capital suficiente para girar entre seus clientes financiados, como são com os CDBs.

Vamos aprofundar um pouco mais para você entender como que funciona no detalhe as Letras de Câmbio.

Na emissão das Letras de Câmbio as financeiras emitem títulos de crédito negociáveis no mercado, ou ordens de pagamento que envolvem três partes:

  • Emitente (ou sacador)
  • Aceitante (sacado)
  • Beneficiário investidor (tomador)

O emitente é a pessoa que paga determinado valor pelo título, a fim de lucrar com sua valorização. O aceitante é a instituição financeira que gera a Letra de Câmbio como forma de captar recursos para emprestar a pessoas físicas ou jurídicas. E o beneficiário investidor é a pessoa que receberá o valor do título corrigido, após comprá-lo do emitente.

Basicamente é como se:

  • O aceitante (financeira) fosse uma empresa que disponibilizou ações no mercado para captar recursos.
  • O emitente seria o investidor primário, que deposita seu dinheiro naquela empresa, comprando suas ações. Porém com o passar do tempo ele as comercializa no mercado secundário, como forma de rentabilizar mais ou mais rapidamente.
  • Então surge o beneficiário investidor, que compra essas ações do primeiro investidor.

Só que as ações, neste caso, são contratos de financiamento, que são as Letras de Câmbio (LC), e trazem explicitamente: valor a ser pago, data e local em que deve ser realizado.

Uma grande vantagem que chama muita atenção nas Letras de Câmbio é o fato de ser um investimento de baixo risco, uma vez que na Renda Fixa você pode conhecer previamente a remuneração que irá receber e não corre risco de simplesmente perder o seu capital com uma oscilação do mercado. Além disso, as negociações de Letras de Câmbio devem ser intermediadas por instituições financeiras autorizadas pelo Banco Central – BACEN.

Estes títulos devem estar registrados na CETIP (Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos) e devem ser nominativos, sendo transferíveis apenas por endosso em preto, ou seja, com especificação do nome do beneficiário investidor.

Rendimento da Letra de Câmbio

Para entender o rendimento da Letra de Câmbio você precisa entender antes que ela pode ser de três tipos diferentes:

1) LC pós-fixada

É quando no momento da aplicação você não conhece a rentabilidade exata, mas apenas uma estimativa do valor que será resgatado no vencimento. Isso porque esta modalidade possui sua remuneração atrelada a uma porcentagem do CDI, que tem oscilação de acordo com o mercado financeiro. Essa é a modalidade mais segura de Letra de Câmbio.

2) LC pré-fixada

Nesta modalidade você conhecerá a rentabilidade que terá ao final, quando for resgatar seu investimento, no momento da aplicação. Neste caso você tem o risco da taxa de juros subir e a remuneração que você contratou se mostrar baixa no futuro. Por exemplo: imagine que você aceita receber 10% de juros ao final de um ano, mas digamos que a taxa Selic no período suba e termine em 20%. Receber 10% não terá sido um bom investimento, concorda?

3) LC híbrida

Esta terceira possui rentabilidade atrelada tanto a juros quanto a um segundo indexador, que pode ser, por exemplo, o CDI ou IPCA. Dessa forma seu rendimento também pode variar de acordo com o mercado. Um bom exemplo destas letras são títulos que rendem CDI + 1% ou IPCA + 5% ao ano.

Vamos exemplificar com números, só para clarear mais:

Existem várias Letras de Câmbio disponíveis, mas uma das que consultei para esse exemplo nesse podcast é uma LC pós-fixada, que hoje está em 115% do CDI com vencimento para abril de 2022. Vale lembrar que dependendo do momento da economia, você pode encontrar Letras de Câmbio com rentabilidades superiores a 120% do CDI, varia muito de oferta para oferta.

Com o CDI rendendo 6,40% ao ano temos uma rentabilidade bruta final de 7,36% ao ano (115% x 6,40%). Isso quer dizer que com o investimento mínimo de R$ 30.000,00 você teria uma rentabilidade bruta de R$2.208,00 no primeiro ano. Investindo nesta taxa, seu dinheiro cresce 50% em 7 anos, enquanto que na Caderneta de Poupança para chegar a esse resultado levaria praticamente 10 anos. Você pode conferir uma tabela detalhando esses cálculos na transcrição do podcast no site do Dicas Curtas e também no grupo exclusivo do Investidor Inteligente do Facebook.

A melhor forma de acessar essas opções de Letra de Câmbio e fazer um paralelo de quais oferecem maiores rentabilidades é através de corretoras independentes, ou corretoras de ações. Assim você pode emprestar seu capital para várias instituições tendo somente uma conta, ao contrário de investir em um banco, onde você ficará restrito ao título do próprio banco. Dessa forma você paga menos taxas e ganha mais.

 

A dúvida agora é: Qual a Letra de Câmbio mais rentável?

Uma Letra de Câmbio oferecida por instituições de menor porte geralmente será uma melhor opção. Como não possuem a grande publicidade a seu favor, instituições menores precisam pagar mais para atrair investidores. Com isso rendem mais do que as grandes instituições. Assim o pequeno investidor tem a chance de ter rendimentos que, em instituições maiores, só os grandes investidores conseguiriam.

 

Como investir na Letra de Câmbio?

Uma grande sacada para os investimentos que têm incidência de imposto de renda é se programar para deixar o recurso aplicado pelo maior prazo possível, por pelo menos 2 anos que é onde, geralmente, a alíquota de IR é a menor. Portanto, quanto maior o prazo do seu investimento em Letra de Câmbio, maior a sua rentabilidade e menor o imposto descontado.

 

Valor Mínimo

No caso da Letra de Câmbio você precisa de um capital um pouco maior para começar a investir e ter boas rentabilidades. Em geral a aplicação mínima começa em R$30.000,00. Lembrando que você não poderá retirar esse valor antes do prazo acordado.

E como disse anteriormente, quanto maior o valor investido, melhor será a taxa paga pelo emissor. As maiores taxas são pagas a partir de R$50.000,00.

 

Prazo de Investimento

A Letra de Câmbio tem vários prazos, podendo ser um investimento de curto ou de longo prazo. Não há um prazo mínimo para a emissão deste título, porém vale ressaltar que quanto mais longo for o prazo estabelecido maior será o seu rendimento e mais interessante será investir na Letra de Câmbio. Até porque os impostos pagos irão diminuir gradativamente ao longo do tempo, de acordo com a tabela de IR.

Nas Letras de Câmbio é possível ganhar mais que 110% do CDI (em alguns casos até bem mais do que isso) com a mesma segurança da Caderneta de Poupança. Outra informação importante é que na Letra de Câmbio você possui carência atrelada ao vencimento para o resgate do seu investimento. Ou seja, caso você faça uma Letra de Câmbio de 2 anos de carência, você não poderá retirar o seu dinheiro antes que este prazo acabe.

É importante pensar no prazo do seu investimento em Letra de Câmbio, pois, resgatando antes do prazo, você pode perder rentabilidade. Se precisar fazer isso você terá de vender seu título para outro investidor, o que pode causar perda de todos os juros deste período. Então é necessário se programar e se preparar utilizando uma parcela do seu capital da qual você não irá precisar.

Para quem precisa pensar em prazos mais curtos, é sempre bom lembrar que existem Letras de Câmbio com liquidez diária. Nessas aplicações você ganha um pouco menos de rentabilidade em troca de poder sacar seu investimento quando quiser.

 

Riscos da Letra de Câmbio

Entendendo melhor como funcionam as Letras de Câmbio você pode achar que à primeira vista parece ser um risco para o investidor. Porém se atentando a alguns detalhes este risco é praticamente nulo.

O risco que você teria seria o risco de crédito, ou seja, o emissor da Letra de Câmbio (a financeira em questão) quebrar e você não receber o seu dinheiro. Porém este risco é mitigado uma vez que a Letra de Câmbio é segurada pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Neste caso o FGC garante aos investidores uma cobertura de até R$250.000,00 por CPF e por instituição. Isso quer dizer que se você possui R$250.000,00 em um banco e R$250.000,00 em outro, ambos estão seguros.

A proteção de R$ 250.000,00 do FGC cobre não só o valor do seu investimento como também a rentabilidade que você teve até a quebra da instituição financeira, caso ela ocorra.

Com isso pode ser uma boa estratégia para o pequeno investidor investir em bancos menores ou financeiras, já que tanto um quanto outro são segurados e a rentabilidade, muitas vezes, será maior do que nas instituições de grande porte.

Um detalhe importante é o seguinte: se a pessoa ou empresa que pegou o dinheiro emprestado com a financeira não realizar o pagamento dessa dívida, você não terá nenhum problema. O risco de inadimplência do crédito é somente da instituição financeira. Para minimizar os riscos do seu investimento, é essencial conhecer as opções que o mercado oferece e escolher aquela que melhor se encaixa em seu perfil de investidor e planejamento.

 

Tributação da Letra de Câmbio

Um ponto negativo da Letra de Câmbio é o fato de sofrer tributação de imposto de renda (IR), ao contrário de investimentos como LCA e LCI. Quanto maior o prazo do seu investimento em Letra de Câmbio, menor o imposto de renda e maior a rentabilidade.

Ainda assim, por ter retorno mais agressivo (como falamos na possibilidade de investir em financeiras de menor porte), pode possuir uma rentabilidade maior e mais competitiva do que estes.

Vale lembrar que todo o IR é retido na fonte e, portanto, você não tem nenhum tipo de trabalho para declará-lo. E a grande vantagem é que quanto maior o prazo da aplicação, menor é o imposto calculado sobre a mesma. Funciona assim, como você já deve conhecer:

Letra de Câmbio de até 6 meses      →        22,5% de imposto sobre o lucro

Letra de Câmbio de 6 meses a 1 ano           →        20,0% de imposto sobre o lucro

Letra de Câmbio de 1 a 2 anos         →        17,5% de imposto sobre o lucro

Letra de Câmbio superior a 2 anos   →        15,0% de imposto sobre o lucro

 

Vantagens e Desvantagens

Vantagens

  • Investimento de baixo risco
  • Rentabilidade maior que a poupança
  • Proteção de até R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira cobertos pelo FGC
  • Possui rentabilidade diária
  • Pode ter taxas prefixadas ou pós-fixadas

Desvantagens

  • Sofre tributação de IR
  • Investimento mínimo maior do que o de concorrentes como o Tesouro Direto
  • Pode possuir carência
  • Não serve como margem de garantia para investir na Bolsa de Valores

O podcast de hoje termina por aqui. Se ficou com alguma dúvida ou se teve algum ponto que deixei de abordar, fique à vontade para entrar em contato comigo através do grupo exclusivo do Investidor Inteligente no Facebook! Lá você também pode deixar sua mensagem, sugestão de novos temas, suas dúvidas em relação a qualquer episódio ou outras dúvidas além deles – inclusive, dê uma olhada se já foi abordado alguma coisa que você tenha em mente: às vezes a dica que você está precisando já está disponível!

Todas as mensagens são filtradas e analisadas pelos moderadores do grupo, para evitar spam de modo que tenhamos uma contribuição mais saudável. Fique à vontade para conversar sobre finanças e investimentos com os outros investidores inteligentes que estão na mesma estrada que você, se desenvolvendo e obtendo mais conhecimento na área financeira pessoal – e se entender que precisa de algum trabalho de orientação, estratégia ou planejamento financeiro mais específico, fique à vontade para entrar em contato comigo seja por e-mail, por WhatsApp ou Messenger!

Curta, comente, compartilhe, deixe sua opinião e também dê sua avaliação no iTunes para que este conteúdo chegue cada vez mais longe, ajudando mais e mais pessoas a cuidarem bem de suas finanças e investirem com mais qualidade e consciência!

Assine agora este podcast no seu dispositivo Apple através do aplicativo Podcast, ou no seu dispositivo Android usando o aplicativo de podcast de sua preferência; você também encontra o Investidor Inteligente no Spotify e no Deezer. Fazendo isso você receberá uma notificação sempre que um novo episódio estiver disponível.

Sugiro que você acesse o site www.DicasCurtas.com.br para conhecer o nosso time de experts, em várias áreas do conhecimento, que com certeza vão contribuir para você desenvolver uma vida plena!

Agradeço a oportunidade em contribuir mais um pouco para sua vida e aguardo sua participação nas redes sociais!

Até a próxima semana com mais uma dica do Investidor Inteligente!

Investidor Inteligente do Dicas Curtas

Pin It on Pinterest

Share This