Ouça agora este podcast! “030 Como o treinamento pode retardar a fadiga em provas de longa duração?”

Como o treinamento pode retardar a fadiga em provas de longa duração? Mas antes disso gostaria de te convidar a integrar o nosso grupo fechado no facebook. Lá você terá acesso a várias informações e textos sobre atividade física, acesso a outros ouvintes e também poderá esclarecer suas duvidas direto comigo. Então, procure pelo Cara da Academia e solicite sua participação.

Acido lático, o que é e  para que serve?

A capacidade aeróbia pode ser definida como a habilidade de realizar trabalho sem a interferência do metabolismo sem o oxigênio. Isso não significa que o ácido lático não esta sendo produzido. Simplesmente quer dizer que ele esta sendo removido dos músculos quase com a mesma rapidez com que esta sendo produzido.

Mas o que é acido lático? O ácido lático é um composto orgânico de função mista ácido-álcool que participa de vários processos bioquímicos orgânicos. No organismo humano, o ácido lático resulta da quebra celular da glicose, com fins energéticos. Por isso, habitualmente fala-se dele quando se fala da prática de exercícios físicos. O organismo humano produz ácido lático em quantidades expressivas, durante a realização de exercícios físicos. Quando a atividade física é intensa, é comum haver um excesso de ácido lático, que é formado num ritmo muito mais rápido do que é eliminado, o que, por vezes, ocasiona muito cansaço.

São muitos e complexos os efeitos do treinamento que melhorarão a contribuição do metabolismo aeróbio ao suprimento de energia durante as provas. Apesar disso, esses efeitos se enquadram apropriadamente em duas categorias: os que reduzem a velocidade de produção do ácido lático e os que aumentam a velocidade de remoção do acido lático nos músculos.

 

Redução da velocidade de produção do ácido lático

Parece lógico que a velocidade de produção do ácido lático pode ser reduzida pelo aumento do metabolismo aeróbio. Aumentos na atividade das enzimas aeróbicas, no consumo de oxigênio e no tamanho e número de mitocôndrias depois do treinamento apoiam essa suposição. Todos estes efeitos do treinamento que reduzem a velocidade de produção do ácido lático proporcionam um aumento de oxigênio para os músculos, esta adaptações são:

Aumento dos capilares em torno de cada fibra muscular, o que fará com que mais moléculas entrem em contato com as fibras musculares de onde poderão se difundir para o seu interior.

Melhor desvio do sangue para os músculos que estão realizando trabalho, para que mais sangue e, portanto, oxigênio, chegue aos capilares.

Aumento do número de mioglobina nos músculos para melhorar o transporte do oxigênio até a mitocôndria.

Aumento no tamanho e número de mitocôndrias nos músculos o que favorece a maior produção de energia.

 

Aumento da velocidade de remoção do ácido lático dos músculos

Qualquer efeito do treinamento que aumente a velocidade de remoção do acido lático tem um papel importante na melhora do desempenho do atleta. Este papel será mais significativo nas provas mais longas porque haverá mais tempo para a remoção do acido lático.

Efeitos do treinamento que aumentam a velocidade de remoção do acido lático das fibras musculares estraçalho.

Maior débito cardíaco aumentando a velocidade de circulação do sangue.

Melhor desvio do sangue, melhorando a oxigenação também melhora a remoção de lactato durante os esforços máximos.

Aumento dos capilares musculares que são pequenos vasos, fornecendo uma maior área para difusão do acido lático.

 

 

Como começar o ano motivado | O Cara da Academia

Pin It on Pinterest

Share This