Ouça agora este podcast!“034 Dengue hemorrágica: aprenda o chá que salva!”

Estamos em outubro, começaram as chuvas e com elas o temor pelas doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. Você provavelmente conhece alguém que já teve dengue, ou já ouviu falar de alguém que teve essa doença ou até mesmo, é essa pessoa? Afinal, essa doença, segundo o último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, divulgada em janeiro de 2018, foram registrados menos casos prováveis de dengue em 2017, cerca de 252.054 casos contra 1.483.623 casos em 2016. Cerca de 5% desses casos evoluem para a dengue hemorrágica. 

Olá, aqui é Abílio Seronni, seu Doutor Saúde, do dicas curtas e se você se identificou com alguma dessas perguntas, hoje você vai aprender 01 dicas de ouro para salvar a sua vida ou de milhares de outras pessoas que podem vir a contrair a doença.

Então vamos lá!

Imagina você indo visitar um parente e no quintal de sua casa tem o monte de vasos de plantas lindo, porém, com possas de água parada e exatamente há doze dias veio um mosquito fêmea de o Aedes Aegypti depositar seus ovos, cuja as primeiras 48h se tornaram larvas e nos outros 10 dias restantes se tornaram mosquitos fêmeas transmissores das doenças:  dengue,  chikungunya, zika vírus e febre amarela! Agora estão ali sobrevoando em busca de alimento, sangue humano! Como é minúsculo, você se tornou um alvo fácil. Em questão de segundos o mosquito te pica, ao se alimentar, raramente você sente a picada porque não dói e nem coça, contraindo a doença. Dentro de 6 dias você começa a manifestar os sintomas que são:

  • Febre alta com início súbito (entre 39º a 40º C)
  • Forte dor de cabeça
  • Dor atrás dos olhos, que piora com o movimento dos mesmos.
  • Manchas e erupções na pele, pelo corpo todo, normalmente com coceiras.
  • Extremo cansaço
  • Moleza e dor no corpo
  • Muitas dores nos ossos e articulações
  • Náuseas e vômitos
  • Tontura
  • Perda de apetite e paladar.

Os sintomas são terríveis, você fica de cama, por dias até se curar. Um belo dia volta a visitar outro parente que agora tem garrafas pet espalhadas no quintal com remanescente de água das chuvas que também sérvio de proliferação do mosquito Aedes aegypti e novamente você é picado. Olha só, o mosquito tem um ciclo de vida de 45 dias e nesse período consegue infectar em torno de 300 pessoas, portanto, o ser humano é uma presa muito fácil olhando para as estatísticas. Da segunda contaminação em diante, a chance de contrair a forma mais violenta e que leva a morte da dengue, chamada dengue hemorrágica se torna muito maior. Infelizmente, você contraiu essa forma mais violenta, os sintomas são praticamente os mesmos a diferença é que a febre cessa por volta do terceiro dia e começa a apresentar alterações na coagulação sanguínea, apresentando sangramento pelo nariz, boca e gengiva. Então, o que você irá fazer, já que a mídia, o ministério da saúde promove que você deve somente hidratar com soro caseiro e evitar qualquer medicação que promova anti agregação plaquetária, permitindo somente o uso de paracetamol e dipirona que são analgésicos e antitérmicos?

Agora que você imaginou a beira da morte com essa doença literalmente sangrenta, agora, você vai aprender 01 dica de ouro para se curar.

Antes de falar da dica, eu te pergunto: Você sabia que várias pessoas que tomaram paracetamol para combater a dengue evoluíram para a dengue hemorrágica? Será, porque? Em episódios anteriores eu tenho falado sobre medicamentos inventados pela indústria farmacêutica que são alienígenas para nosso corpo. Uma vez que o seu corpo entra no processo de febre, isso é um mecanismo de auto cura e se você impede esse processo natural do corpo com antitérmicos, facilmente você estará evoluindo para um caso crônico da doença, agravando ainda mais. Entenda que o seu corpo só reconhece aquilo que já existe na natureza. Os primeiros 20 genes do corpo humano tem a mesma sequencia genética que os 20 genes das plantas e animais. Aí está a explicação porque nosso corpo reconhece aquilo que vem da natureza.

 

Agora preste atenção na dica

A dica é um fitoterápico, uma planta capaz de repelir os insetos, em especial, os mosquitos. Conhecida popularmente como cravo de defunto, em latin, Tagetes erecta Linn é uma planta de origem mexicana, muito usado pelos astecas, devido ao forte odor das flores, como repelente de ácaro, pragas, pulgões e lagartos. Seu uso medicinal já é usado para aliviar inúmeros sintomas como dores articulares, reumatismo, tosse, espasmos e cólicas uterinas. Rico em luteína, apelidada de vitamina dos olhos, ajuda a prevenir degeneração macular, catarata, câncer e doenças vasculares.  Agora, descobriu que o seu uso como chá ajuda a eliminar rapidamente os sintomas da dengue hemorrágica. Poderá ser usado também para dengue clássica. Existem dois tipos de cravo de defunto, a amarela e a alaranjada. A dica aqui é usar a alaranjada que tem o poder medicinal mais eficaz! Sempre que for se alimentar, dê preferencia ao carboidrato, pois a proteína sobrecarrega o fígado e a dengue afeta o fígado!

 

A dica de brinde: Existe um marcador biológico descoberto pela Unicamp e Famerp com apoio da Fapesp, que facilita o diagnóstico da dengue hemorrágica. Foi publicado na revista Scientific Reports, de acordo com o estudo, o vírus assume o controle do metabolismo das células infectadas para atender às necessidades de replicação viral. Essa atuação gera aumento de uma substância chamada fosfotidilcolina, que dificulta a coagulação do sangue e é um indicativo da dengue hemorrágica.

Falamos de como se curar, do marcador biológico para diagnóstico e agora não poderia deixar de citar três dicas para combater o mosquito:

Dica 1: Onde tiver água parada coloque areia ou água sanitária proporcional a 1 colher de chá pra cada litro.

Dica 2: Terreno baldio denuncie para a prefeitura caso este esteja sendo depósito de lixo;

Dica 3: Seja um fiscal cidadão, caso veja algum potencial de proliferação, ligue para o combate a dengue na Secretaria Municipal de Saúde da sua região ou pelo app Observatório do Aedes Aegypti .

Dica 4: coloque telas nas janelas

Dica 5: em zonas epidêmicas use a vacina contra a dengue

Dica 6: por fim mantenha limpas suas calhas, lagos artificial e aquário

A receita do chá voce encontra no link da descrição.

Link: http://seronni.com.br/receita-chapradenguehemorragica

Resumindo, o corpo se auto cura, mas se quiser dar um empurrãozinho, que seja com substancias naturais! O médico trata e a natureza cura. Antes de qualquer tratamento, procure seu médico e nunca se automedique.

Espero que tenha gostado deste episódio.

 

Para aprofundar se no assunto, acesse nosso site www.seronni.com.br e adquira nosso livro, habittus seronni ou cadastre-se para o próximo workshop.

Se você ainda não se atentou para importância dos cuidados para combater o mosquito Aedes Aegypti, comece a praticar as dicas que você vai ajudar a combater essa epidemia que mata milhões por ano.

Então, o que você achou dessas dicas, qual assunto você gostaria de saber mais a respeito?

Ficou com alguma dúvida? me procure no grupo do ”O Doutor Saúde”, no facebook, pois estarei a disposição para esclarecer todas elas, e aproveite para segui lá.

Curta, comente e compartilhe usando o itunes e assine este podcast no seu dispositivo apple, através do aplicativo podcast ou no seu dispositivo android usando o aplicativo podcast da sua preferência e é claro, estamos também no spotify e no dezzer.

Até a próxima semana!

 

 

Pin It on Pinterest

Share This