Ouça agora este podcast!

“155 Devo comprar relatórios das casas de análise independentes?”

Você já formou sua reserva de emergência e agora quer começar a investir na bolsa de valores. Daí observa que existem centenas de empresas na bolsa e já fica meio perdido. Investigando, começa a verificar que existe o departamento de análise na sua corretora; mas com receio das análises estarem enviesadas, se depara com as casas de análise independentes.

E aí surge a dúvida: será que vale a pena comprar os relatórios das casas de análise independentes?

Você está escutando o podcast do Investidor Inteligente; todas as semanas você pode nutrir a sua vida financeira com informações gratuitas de qualidade, apresentadas de forma bastante harmônica, lançando luz sobre diversos assuntos relacionados à finanças e investimentos.

Eu sou Phillip Souza, palestrante, consultor e educador financeiro especialista em inteligência financeira, o expert em Finanças e Investimentos do Dicas Curtas; tenho o importante desafio de te ajudar a destravar a sua mentalidade e entender que a prosperidade também é para sua vida: usando bem o seu dinheiro você pode desfrutar de qualidade de vida, fazer com que ele sobre e investi-lo para realizar seus sonhos e objetivos! Isso tudo para que você possa evoluir em seu comportamento a partir da desconstrução, reconstrução e transformação da sua mente ampliando sua percepção, aprendendo, evoluindo e se comportando de forma mais sábia e próspera em relação às suas finanças, transformando-se em um investidor ainda mais inteligente.

Esse e os outros podcasts do Dicas Curtas são gratuitos. Portanto, você pode seguir e assinar agora o Investidor Inteligente nas diferentes plataformas de podcast em seu smartphone para ficar por dentro com todas as informações, não perder nenhuma dica e acompanhar todas as semanas os novos episódios para poder usar bem o seu dinheiro no presente e investir pensando no futuro!

Existem na bolsa centenas de empresas e escolher em qual delas investir envolve estratégias diferentes, metodologias diferentes, gostos diferentes. Existem basicamente duas grandes escolas: a análise técnica, que é a análise que observa os gráficos, avalia o comportamento dos preços, verifica qual a possível tendência a partir da leitura de padrões e indicadores, avaliando se uma ação pode subir ou pode cair; e a análise fundamentalista, que busca pautar suas decisões nos fundamentos de uma empresa – esses fundamentos tratam-se do mercado de atuação da empresa, indicadores de receita, lucratividade, endividamento, quem está na administração da companhia (CEO, CFO, Relações com Investidores, etc), quais são os planos dessa empresa para o futuro: procura extrair indicadores se aquele negócio tem perspectivas de crescimento ou não.

Não existe certo, não existe errado, nem melhor ou pior: existem gostos e preferências diferentes. Eu, particularmente, gosto de investir no mercado de ações a partir da análise fundamentalista. Gosto de pensar no investimento no mercado de ações como faria no investimento no mercado tradicional.

Por exemplo: se alguém te chama para ser sócio de alguma coisa, o que você faz? Você analisa, não é? Você avalia o ponto em que a pessoa está pensando em abrir uma loja, as capacidades técnicas daquela pessoa, o investimento que é necessário realizar, dentre várias outras coisas. 

Então, talvez, se alguém te chamasse para ser sócio de uma farmácia pode ser que você tope: talvez você conheça do mercado, verifique que não tem nenhuma farmácia no bairro que se quer abrir a loja, goste do ramo de atuação e, por fim, você tope.

Por outro lado, se alguém te chama para investir em uma loja de tintas e você não tem afinidade nenhuma com o negócio, não entende como funciona, verifica que onde se está querendo abrir uma loja desse tipo existem outras concorrentes com perfil similar e até mais consolidadas, você tome a decisão de não investir.

Ou então te convidem para abrir uma locadora de veículos e também você não tope porque você só anda através de carros por aplicativo, acredita que em breve os carros serão substituídos pelos carros autônomos e não tenha afinidade com esse tipo de negócio.

Na vida real, no mercado tradicional, você toma decisões de acordo com suas experiências e suas expectativas: é dessa forma que eu incentivo as pessoas a olharem para o mundo das ações. Avaliar o negócio para só depois olhar a cotação que está na bolsa.

Se você quiser ser sócio de farmácia, você pode ser sócio da RaiaDrogasil ou da Profarma ou da Panvel Farmácias; se você gosta desse mercado, pode se tornar sócio de empresas como essas. Se você gosta de locadoras de carro, tem as ações da Localiza ou da Movida ou da Locamérica; todas essas e muitas outras empresas estão lá na bolsa buscando parceiros para expandir as suas operações.

O que eu quero que você entenda é que o mercado financeiro, a bolsa de valores, não é outro mundo: ele está diretamente ligado ao mundo normal, de empresas que existem de fato, atuando em suas respectivas áreas no dia-a-dia.

Por exemplo: quando você decide comprar ações da Embraer que é do setor aéreo, você pode começar a construir suas impressões entendendo que nessa pandemia o setor aéreo foi muito afetado e ainda está sofrendo bastante (não só a Embraer, mas também outras empresas do setor e ligadas ao setor aéreo), contudo pode acreditar, através de pesquisa, estudo, que a Embraer tem condições de recuperar, que o setor de aviação pode voltar com força, o turismo vai crescer, então você começa a construir premissas para investimento nessa empresa que, apesar de agora estar sofrendo, em um futuro pode-se chegar à conclusão que essa empresa vai recuperar seu fôlego e crescer. Não é recomendação de investimento, tá? É só um exemplo para você exercitar seu raciocínio.

O que acontece na prática é que muita gente mal dá conta de analisar sua própria vida financeira: tem hora que é difícil fazer suas organizações, suas próprias contas.

Então imagine analisar se a Embraer, se a Vale, se o Banco do Brasil, se as Lojas Renner, se a Magazine Luiza, se o Itaú, se a Petrobras, se a Weg, se a Cemig, se a Light, se a Eletropaulo, se a Sabesp ou qualquer outra empresa listada na bolsa está em um bom caminho ou não? Imagine olhar o balanço patrimonial de uma empresa como essa, os demonstrativos de resultado do exercício (DRE), as notas explicativas… é muita coisa para ser avaliada com o intuito de se tomar boas decisões.

É também por isso que surge no mercado cada vez mais empresas que são conhecidas como casas de análise independentes.

O que as casas de análise independentes fazem?

As casas de análise independentes reúnem diversos analistas de investimento (CNPIs) e pagam muito bem esses profissionais para que eles possam ficar o tempo inteiro, o dia inteiro analisando diversas empresas para produzirem relatórios.

De forma simplificada, essas empresas nada mais fazem do que vender a opinião delas ao investidor. Eles buscam olhar tudo o que está acontecendo com as empresas nas bolsas, no mercado, extrair informações, produzir um relatório para vende-los à você. Daí te vendem um relatório com as recomendações de compra ou de venda de alguma ação ou de algum ativo. Existem diversas empresas como essa no mercado: a Empiricus, a Suno, a Eleven, a Levante, a Nord, a Inversa e tantas outras.

E aí vem a pergunta clássica: “Phillip, qual que é boa, qual que é ruim?”. Não existe uma empresa que é boa ou ruim; afinal, as empresas são formadas por pessoas. Dentro de uma mesma empresa tem produtos diferentes produzidos por analistas diferentes. E um analista que hoje está em uma empresa, amanhã pode estar em outra: é e comum acontecer essa “dança das cadeiras” – até mesmo dentro das corretoras que têm seu departamento de análise.

O que eu quero te levar a entender: você provavelmente não vai viver no mercado financeiro, você não vai ganhar dinheiro só com o mercado financeiro. Provavelmente você vai trabalhar, fazer suas coisas e você vai usar o mercado financeiro para potencializar os seus recursos. Como você, provavelmente, não vive do mercado financeiro é melhor deixar para que os especialistas fiquem analisando esse mercado. Então cuidado com recomendações e análises que estão pelo YouTube afora.

Nessa linha, você tem dois caminhos a serem seguidos: 1) você compra relatórios, vê qual você está gostando mais, dá uma olhada, vê com qual analista se identifica mais e investe nas recomendações dadas por ele; ou 2) você investe por meio de fundos de investimento.

O desafio de investir através de fundos de investimento é que você cai na mesma situação: existem milhares de fundos de investimentos diferentes e também é difícil escolher qual o melhor fundo ou qual é o pior fundo. Então as casas de análise também te ajudam a olhar para esse tipo de ativo e te auxiliam a entender qual fundo tem mais a ver mais com você.

Além desses dois caminhos existe aquele em que você faz suas próprias análises. É um caminho mais difícil, pois você não é necessariamente um profissional de investimento. Então eu sugiro que você use as recomendações como base de informação e, aquilo que for mais interessante para os seus investimentos e sua estratégia, você confirme e se aprofunde nos estudos. Por isso que é tão importante estudar sobre investimentos, apesar de existir esse tipo de serviço à nossa disposição. Você quem investe, você é que colhe as consequências – positivas ou não.

O único detalhe que quero que você preste atenção é um alerta: você tem que lembrar do modelo de negócio de uma casa de análise. As casas de análise vendem relatórios, vendem informação.

É muito comum acontecer o seguinte: você se cadastra no site de uma casa de análise, tem acesso a um primeiro relatório baratinho, R$5 por mês, R$9,90 por mês, mas depois vão te oferecendo relatórios que custam R$500, outros que custam R$1000 e você começa a ter a sensação de que a informação que você precisa sempre está no relatório mais caro. E não é assim.

Se você tem pouco dinheiro para investir, esses relatórios mais baratos vão servir para você: não precisa acessar os relatórios mais caros – eles farão mais sentido quando você tiver mais dinheiro para investir.

Então vamos combinar o seguinte: se você está começando e não está investindo muito, é legal você procurar as casas de analise, olhar os analistas, fazer as experimentações gratuitas, estudar um pouquinho, ver as recomendações que estão dando, realizar alguma assinatura do seu interesse – mas coloque um teto. Não gaste mais do que R$50 por mês com isso: R$50 vale a pena, é um investimento, às vezes muito menor do que você gasta com assinaturas de canais de filmes e séries ou até com pedidos de lanche. Quando você faz o levantamento desse tipo de despesa, por exemplo, pode constatar que você tem dinheiro para gastar com esse tipo de serviço, de compra de relatórios, para melhorar a qualidade das suas decisões de investimento.


Então vale a pena investir um pouquinho em qualquer casa de análise. Eu tenho as minhas preferências, mas todas têm pontos positivos, todas têm pontos negativos. Vá experimentando, vá testando. Algumas pessoas vão se identificar mais com um analista, outras vão se identificar mais com outro analista. Mas invista em seu conhecimento: pega esses relatórios, dedique uma ou duas horas por semana para dar uma estudada nisso, se atualizar sobre o mercado e eu tenho certeza que no longo prazo isso vai ser ótimo para sua vida financeira.

O podcast do Investidor Inteligente também pode ser um pouco seu! Acesse a transcrição no blog do Dicas Curtas caso queira deixar algum comentário para esse episódio! E você também pode participar mais fazendo a mesma coisa encontrando a postagem no perfil do Dicas Curtas tanto no Instagram (siga @dicascurtas) quanto na fanpage do Investidor Inteligente no Facebook. Aproveita para seguir o perfil, curtir a página e as postagens, marcar seus amigos e compartilhar com eles o que você está aprendendo aqui!

 

Caso queira, você também pode participar da comunidade exclusiva do Investidor Inteligente no Facebook, expondo suas dúvidas, dando suas sugestões de novos temas e apresentando postagens que agreguem à comunidade: para manter o grupo saudável, só não vale postar spam e nem publicidade, ok?!

 

Todos os links estão na transcrição no blog e na descrição dos episódios.


Assine agora e acompanhe esse podcast através do seu dispositivo Apple ou Android, sendo que você também pode encontrar o Investidor Inteligente pelos apps Spotify ou Deezer.

Aproveite bem a sua semana, aproveite bem o seu tempo e aproveite bem as oportunidades que a vida te oferece. Cuide bem de você, de sua família e de suas finanças! Que Deus te abençoe!

 

Aqui é Phillip Souza, o Investidor Inteligente!
Investidor Inteligente do Dicas Curtas

Pin It on Pinterest

Share This