Ouça  agora este podcast!“055 Estratégias para Alcançar a Independência Financeira – parte 2”

No episódio anterior das Estratégia para Alcançar a Independência Financeira, nós definimos o que é estratégia, o que é independência financeira e falamos sobre as duas primeiras habilidades necessárias para construir sua independência financeira. Se você ainda não conferiu, escute-o e depois volta aqui para falarmos sobre as duas últimas habilidades para alcançar essa tão sonhada meta.

Eu sou Phillip Souza, o expert em Finanças e Investimentos do Dicas Curtas e semanalmente trago aqui neste podcast, várias dicas e informações para ajudar a fazer com que você use bem o seu dinheiro para alcançar seus objetivos de forma financeiramente saudável com foco em qualidade de vida transformando-se em um investidor inteligente.

Para você não perder nenhuma dica e ficar atualizado com todas as informações que estarei compartilhando aqui, basta assinar gratuitamente o podcast e acompanhar todas as semanas o Investidor Inteligente do Dicas Curtas.

Muitos de nós achamos que alcançar a independência financeira consiste em só fazer dinheiro e investir. Você sabe que não é bem assim. Digamos que a independência financeira fosse um local, o paraíso que pode parecer distante, mas que você sempre sonhou em tomar posse. Só que para chegar lá só existe a possibilidade de ir por terra: nada de barco, nada de avião. Você pode ir a pé: e é provável que você nunca chegue. Você pode ir de moto, talvez chegue mais rápido; mas existem curvas e passagens muito sinuosas que podem colocar sua vida em risco, sendo bem mais perigoso – inclusive se um pneu furar no meio do caminho, você está perdido, pois não tem estepe. E você pode ir de carro: razoavelmente mais seguro e ainda é possível levar sua família com você. E indo de carro, você vai precisar das 4 rodas.

Hoje, portanto, vamos falar das duas últimas rodas: Economizar Dinheiro e Investir Dinheiro. Lembrando o seguinte: se você quiser, pode acessar o meu site (www.PhillipSouza.com.br) ou procurar meu canal do YouTube (clique aqui) em que conduzo uma sessão experimental gratuita de coaching financeiro que é o Giro Financeiro. Você poderá realizar uma avaliação subjetiva sobre como você entende que está seu desenvolvimento em cada uma das 12 principais habilidades que compõem as 4 grandes áreas de desenvolvimento para alcançarmos a independência financeira: ganhar dinheiro, gastar dinheiro, economizar dinheiro, investir dinheiro. Se depois dessa sessão experimental você quiser dar continuidade ao processo de coaching, basta entrar em contato comigo para obter mais detalhes sobre o processo, valores, forma de realização das sessões, e qualquer outra informação que quiser saber através dos meus contatos em meu site.

 

ECONOMIZAR DINHEIRO

Vamos falar de economizar dinheiro.

Economizar dinheiro é diferente de poupar. São conceitos e práticas que podem estar ligados, mas não necessariamente. Economizar significa conseguir desconto, conseguir salvar dinheiro quando for usá-lo. Tem a ver com a ideia de acessar promoções, negociar produtos e obter desconto em sua aquisição, fazer escolhas melhores, talvez de mesma qualidade ou qualidade similar em que se obtenha menor uso de dinheiro. Poupar tem a ver com investir; é aquele recurso que foi separado para usar como investimento.

No contexto de economizar, poupar significa destinar o dinheiro economizado para investimentos. Exemplo rapidinho: Negociei um produto que custava R$ 1.000 pagando apenas R$ 950, obtendo um desconto de R$ 50. Esses cinquenta reais serão usados para investimento. No final das contas o uso total do dinheiro foi de R$ 1.000, contudo aconteceu um acréscimo de R$ 50 para investimentos. Isso é uma das formas de economizar de maneira inteligente!

Tratando-se das habilidades referentes a economizar dinheiro, temos o Fluxo de Caixa. Fluxo de caixa é o balanço das contas para avaliar se elas estão fechando. O ideal é que exista sobra-zero. Certo, mas o que é isso? Sobra-zero é a ideia de que cada real tem que ter o seu destino. Ou seja: devemos fazer o bom direcionamento dos rendimentos em relação às nossas despesas e aos investimentos. Se você deixa seu dinheiro sem destino, “sem nome”, ele tende a ser usado no dia-a-dia e acabamos não percebendo para onde ele está indo, mesmo que você realize um bom controle de suas finanças. O controle vai permitir que você identifique para onde ele foi, mas não costuma fazer com que você o direcione, a menos que você faça isso de maneira antecipada.

Outro ponto fundamental se relaciona a Proteções e Seguros. Por um lado, esse item relaciona-se aos gastos, despesas; por outro lado, relaciona-se com economizar dinheiro. O futuro é imprevisível e por mais que tomemos todos os cuidados, por mais que sejamos cautelosos, imprevistos acontecem e, se não antecipamos pelo menos parte do sinistro, ficamos descobertos e, dependendo da situação, essa falta de proteção pode arrasar com os planos de independência financeira. Você, sua família e seus bens estão devidamente protegidos? Seguro de vida, seguro de carro/moto, seguro contra acidentes, seguro de responsabilidade civil, etc. É um tipo de serviço que depende da sua estrutura de vida, necessidades e também da fase da vida da qual você se encontra, podendo, dependendo da situação, ser dispensável – já em outros casos, indispensável. O ponto é que se você precisar, e tiver o seguro para cobrir as despesas, com certeza vai economizar dinheiro.

E o terceiro ponto sobre economizar dinheiro tem a ver com as Dívidas. Mas o que dívidas tem a ver com economizar dinheiro, já que dentro delas encontramos o pagamento de juros? Dívidas nem sempre são um problema. O problema é quando perdemos o controle e elas prejudicam nossas vidas. Se, por exemplo, for uma dívida contraída com o objetivo de melhoria ou desenvolvimento profissional, pode ser interessante porque, em um futuro, o pagamento dessa dívida (em forma de financiamento estudantil ou afins) pode gerar retornos muito maiores em relação ao que foi pago. Se é a compra de um equipamento para melhorar ou aumentar a produção e, com isso, aumentar o rendimento principal ou rendimento extra, desde que o equipamento se pague e gere lucro, pode ser uma dívida interessante a ser feita. Se é a aquisição de um veículo financiado para que ele gere mais recurso financeiro, desde que ele esteja cumprindo o seu propósito e se pague, não tem problema – esses exemplos demonstram o uso do crédito de forma produtiva. Porém, se é uma dívida financeira que está detonando seu orçamento, sua vida financeira, sua saúde emocional, pessoal e familiar, aí sim isso tem que ser tratado. Muitos ouvintes, inclusive, estão entrando em contato comigo para traçarmos estratégias de solução das dívidas financeiras de modo a estancar e resolver esse problema, deixando de serem devedores para se tornarem investidores em um futuro breve. Fique à vontade para entrar em contato comigo, ok? E como que entra aqui a ideia de economizar? Se suas dívidas são mais baratas, menos juros você paga, mais economia vai poder fazer e mais recurso você vai ter, primeiro, para saná-las mais rapidamente e, segundo, investir em um futuro próximo.

 

INVESTIR DINHEIRO

Finalmente chegamos ao parque de diversões das inúmeras possibilidades. Aqui você encontra todo tipo de brinquedo: dos mais simples aos mais elaborados; dos mais doces aos que podem trazer surpresas amargas; dos mais frios aos mais quentes. E tudo isso depende de uma única coisa: o seu gosto.

Investimentos dependem do seu grau de conhecimento sobre as diversas estratégias que existem, conhecimento sobre os diferentes tipos de mercados (renda fixa, mercado de ações, mercado futuro, mercado de opções e tantos outros) e, um ponto fundamental, do seu grau de aversão ao risco. Todo investidor, sem exceção, é avesso ao risco. Falei disso no episódio 51 em que tratei sobre os principais tipos de risco nos investimentos; confere lá se quiser mais detalhes. Aversão ao risco depende do seu grau de conforto em relação à volatilidade e a possíveis perdas em seus investimentos. Portanto, o item de investimentos depende bastante das suas preferências, possibilidades e características pessoais – ou seja: depende do seu gosto. Diante disso te faço algumas perguntas simples, para refletir: como estão seus investimentos? O que faz com o dinheiro que sobra? Tem gerado o resultado desejado? Você tem acompanhado os resultados ou está deixando seus resultados à deriva? Ou você ainda não possui investimentos? Lembrando que, para investir, é necessária alguma fonte de renda, é necessário ter recurso financeiro. Sem dinheiro, sem investimento.

Outro ponto fundamental são suas Reservas. Geralmente fala-se muito de reserva de emergência, que é importante, especialmente em momentos de imprevisto ou para o começo ou recomeço da vida financeira. É tanto uma segurança real quanto uma segurança psicológica, trazendo a sensação de se ter algum dinheiro guardado. Mas aqui eu quero ampliar: eu falo das reservas para diferentes propósitos – reserva para aquisição ou troca de bens; reserva para a realização de uma viagem; reserva para educação própria ou dos filhos. Ou você não tem reserva alguma? Lembre-se: cada pessoa ou família tem sua necessidade individual e você deve avaliar qual é a sua, ok?

E, para fecharmos tudo o que ouvimos no podcast anterior e durante esse episódio: Patrimônio. Independência financeira, ganhar o jogo do dinheiro, tem a ver com a construção de patrimônio. É a partir dele que o recurso periódico virá para que você possa pagar por todas as suas despesas, pelo padrão de vida que deseja e por todas as outras necessidades que demandem recurso financeiro. O ideal é que seu patrimônio jamais seja dilapidado, mas sim monitorado e acompanhado para avaliar se está bem empregado, se está rendendo bem, se está ou se mantendo e, o que é melhor, crescendo. Avalie: será que seu patrimônio tem crescido ou diminuído ao longo dos anos? Será que seu patrimônio tem gerado bons resultados? O ritmo de crescimento de seu patrimônio está aceitável? Ou você ainda não tem patrimônio? Vale lembrar que seu patrimônio geralmente é construído ao longo dos anos e não costuma ser um empreendimento rápido. Demora, dá trabalho, tem que ser cuidado, tem que ser monitorado, ajustado de acordo com os seus planos, expectativas e objetivos. E assim você conseguirá alcançar a independência financeira, que, na verdade, não é o local, mas sim uma condição de vida.

 

Espero que tenha gostado do episódio de hoje! Vale lembrar que se você ainda não escutou o episódio anterior, volta lá e escute para construir todo o contexto que estamos tratando aqui, ok? Se tiver qualquer dúvida ou se precisar de orientação, formular alguma estratégia ou sentir a necessidade de ser treinado em relação às suas finanças pode ficar à vontade para entrar em contato comigo.

Caso fique com alguma dúvida, me procura lá no grupo do Investidor Inteligente no Facebook, pois estarei à disposição para esclarecer todas elas. Inclusive deixe também sua sugestão de novos temas: esses dois podcasts das “Estratégias para Alcançar a Independência Financeira” nasceram a partir de uma sugestão de uma ouvinte!

Curta, comente, compartilhe e deixe sua avaliação no iTunes para que este conteúdo chegue cada vez mais longe, ajudando mais e mais pessoas a cuidarem bem de suas finanças e investirem com mais qualidade e consciência!

Assine este podcast no seu dispositivo Apple através do aplicativo Podcast, ou no seu dispositivo Android usando o aplicativo de podcast de sua preferência. E claro também através do Spotify e do Deezer. Assim você receberá uma notificação sempre que um novo episódio estiver disponível.

Conheça também nosso time de experts através do nosso site: www.DicasCurtas.com.br.

Até a próxima semana com mais uma dica do Investidor Inteligente!


Investidor Inteligente do Dicas Curtas

 

Pin It on Pinterest

Share This