Ouça agora este podcast!

“057 Gordura: o alimento do cérebro!”

Você já imaginou ver um ente querido colocar a mão no peito dizendo que está com dor, irradiando para o braço, pescoço e costas, com falta de ar e  sinais de muita ansiedade?

Olá, aqui é Abílio Seronni, o Doutor Saúde, do dicas curtas e se você já presenciou essa cena, sabe muito bem do que estou falando – infarto agudo do miocárdio, em outras palavras, ataque cardíaco e se você quer saber mais sobre o grande causador dessa doença que mais mata no mundo, fique comigo para aprender sobre as gorduras, suas diferenças e 5 dicas de consumo.

Então vamos lá!

 

Por muito tempo criou se uma gordurofobia, ou seja, medo de comer gordura por falta de conhecimento científico. Hoje sabemos que tem dois tipos de gorduras a falsa e a verdadeira. A gordura é a forma genérica de chamar os lipídios mais conhecidos. É produzida tanto pelos vegetais quanto pelos animais, geralmente são solúveis em solventes orgânicos e insolúveis em água, pois a estrutura molecular da gordura é feita de cadeias longas de carbono. Por ter menor densidade, esta flutua quando misturada em água. As gorduras são  “quebrada”, digeridas no organismo pela ação de uma enzima chamada lipase, produzida pelo nosso pâncreas.

Quimicamente, as gorduras são sintetizadas pela união de três ácidos graxos à uma molécula de glicerol, formando um éster chamado de triglicerídeo, que podem ser sólidas ou líquidas em temperatura ambiente, dependendo de sua estrutura e de sua composição. Usualmente o termo “gordura” se refere aos triglicerídeos na sua forma sólida, enquanto o óleo é na sua forma líquida.

As gorduras podem ser diferenciadas em 2 tipos: saturada (encontradas nos animais, a famosa banha de porco, no coco – o famoso óleo de coco e no óleo de palma) e a insaturada ( encontrada nos demais vegetais como óleo de oliva, de abacate e de linhaça). 

Existem também as gorduras falsas ou vilãs que são os óleos hidrogenados ou gordura trans responsáveis pelas doenças no coração. É a gordura transformada a partir dos óleos vegetais por um processo de hidrogenação em condições de alta pressão e temperatura e durante bastante tempo, tornando-as ”falsas gorduras” como é o caso da margarina (comparadas com a textura de parafina de passar em prancha de surf com sabor e aroma e falta apenas uma molécula para se tornar um plástico) e dos óleos: CANOLA que é a abreviação de ”Canadian Oil Low Acid (“óleo canadense de baixa acidez” – extraído de uma planta venenosa chamada colza com pequena quantidade de ácido erúcico), girassol, soja, ou seja, os famosos óleos de cozinha encontrados em qualquer gôndola de supermercado brasileiro e que nos EUA foi proibido qualquer tipo de gordura trans.

Aqui fica o alerta, esse tipo de gordura plastifica e enrijece os vasos sanguíneos e o coração, pois o corpo não reconhece esse tipo de nutriente, sendo a causa numero 1 de formação de trombos para levar a trombose, AVC e infarto. Não adianta seu cardiologista recomendar caminhadas, academias e chás medicinais se você não remover a raiz do problema.

A gordura tem várias funções no corpo, dentre elas metabólicas e estruturais, fonte e reserva de energia, isolante térmico, síntese de outras substâncias ou para melhorar o funcionamento destas como é o caso das vitaminas A,D,E e K,  são lipossolúveis, ou seja, só são absorvidas no corpo na presença de gordura.

O colesterol que também é um lipídio, mas não é gordura e sim um álcool policíclico de cadeia longa, usualmente considerado um esteroide, encontrado nas membranas celulares e transportado no plasma sanguíneo de todos os animais é facilmente confundido com gordura e foi condenado por anos o seu consumo dizendo que faz mal para o coração quando na verdade não conseguiram provar a relação do colesterol elevado com infarto do miocárdio, e sim a relação triglicerídeos e colesterol. Para ter uma ideia, a maior parte do colesterol vem do nosso próprio corpo e não do consumo de alimentos.

As gorduras são essenciais para os seres humanos, principalmente das famílias ômega 3 e ômega 6, pois, a partir delas nós conseguimos produzir todos as demais. O ômega 3 é anti inflamatória enquanto que a ômega 6 é pro inflamatória e sua relação deve ser 1:1, o grande problema aqui é o desequilíbrio dessa relação que hoje está em torno de 1:13, ou seja consumimos pouco óleo de peixe, de chia e linhaça e muito óleo de cozinha.

Agora que você aprendeu que existe a gordura ”vilã” e a gordura ”mocinha”, vamos conhecer agora 5 dicas mais comuns de consumi lá.

Antes de falar das dicas, eu te pergunto: você sabia que a legislação brasileira permite classificar o azeite de oliva como azeite de oliva desde que ele apresente acima de 15% de azeite de oliva? Veja que absurdo, se você olhar no rótulo do frasco de azeite e lá estiver falando que a composição é 85% de óleo de girassol e só 15% é azeite de oliva você está comprando gato por lebre. Portanto, a dica é comprar azeite estrangeiro para não ser enganado.

 

Agora, preste atenção nas dicas para consumo da gordura:

Dica 01: Tempero – sempre quando você for almoçar ou jantar, tenha sempre em mãos azeite de oliva prensado a frio no vidro escuro e importado para temperar a sua salada. Um vidro de azeite dura muito pois a dose recomendada é um fio de azeite ou uma colher de chá diariamente. Abuse desse tempero pois ele tem inúmeras propriedade medicinais como anti inflamatório, anti oxidante, renovação celular. A dica aqui é consumi lá sempre a frio pois quando aquece perde suas propriedade medicinais e se transforma em gordura saturada.

Dica 02: Saúde e beleza – o óleo de coco tem mais ácido láurico que o leite materno. Este ácido quando cai no estômago vira monolaurina que é um potente antimicrobiano e antioxidante aumentando sua imunidade. Também é utilizado como protetor solar natural, hidratante capilar, rejuvenescedor da pele, anti rugas e termogênico para emagrecimento e fuja das frituras de pastéis de feiras com óleo de cozinha, depois da segunda fritura a mais de 200 C, começa a liberar uma substância chamada de acroleína, a mesma substância da fumaça de pneu, altamente cancerígeno. A dica aqui é usar o óleo de coco para cozinhar, proteger a pele, como hidratante, emagrecedor e aumento da imunidade.

É uma grande promessa no tratamento da Síndrome da Fadiga Crônica e Fibromialgia  já que ajuda a eliminar o vírus da Herpes e Epstein-Barr, já que se acredita estarem envolvidos na causa dessas entidades, além de combater candidíase, giárdia e ameba. O óleo de coco extra virgem também é um poderoso desintoxicamte de metais pesados como chumbo, mercúrio, cadmio e arsênio. Outro óleo muito poderoso é o de copaíba, sempre que sua garganta começar a coçar, dar sinais de uma possível inflamação ou infecção, lance mão do óleo de copaíba, assim, você já corta um futuro desconforto e prolonga sua saúde. Três gotinhas para o adulto e uma gotinha para a criança já é o suficiente;

Dica 03: Culinária – nossos avós sempre utilizaram para cozinhar e conservar os alimentos, a banha de porco, rico em acido oleico, é uma gordura saturada, portanto, não se altera durante o aquecimento, sendo fortemente recomendado o seu uso nas frituras. O grande problema da gordura é quando se associa com o açúcar como é o caso dos sorvetes, requeijões, pipoca de micro ondas e margarina. Aqui deixa de ser alimento e passa a ser anti nutriente sequestradores de saúde. A dica é fazer uso de um copo de suco de uva bordo diariamente, pois rico no flavonoide reverastrol, um poderoso antioxidante, pesquisa mostra que ele é capaz de limpar as placas de gordura ao longo dos vasos como se você nunca tivesse ingerido gordura hidrogenada na vida usar a banha de porco como segunda opção para cozinhar devido ao alto preço do óleo de coco;

Dica 04: Curativo – se o seu animal de estimação machucou, você pode lavar a ferida com água e sabão e caso não tenha nenhum antisséptico, antimicrobiano ou cicatrizante, você pode passar óleo de amêndoa rico em vitaminas E, em seguida passar a margarina pois é um poderoso repelente de moscas. Em caso de queimaduras não se recomenda margarina, apenas se for por cigarro pois ajuda a remover o alcatrão, substância tóxica composta por mais de 4 mil substâncias, dentre elas, cerca de 60 são cancerígenas;

Dica 05: Protetor e alimento cerebral – o cérebro é composto 60% de gordura, portanto, devemos alimenta ló principalmente com ômega 3. Sabemos que depois dos 90 anos de idade, uns terços das pessoas desenvolvem algum tipo de Alzheimer e para blindar o seu cérebro a dica é consumir a gordura ômega 3, em especial o DHA, diariamente, em forma de cápsulas. 

A lista completa das principais dicas você encontra no link da descrição.

link: http://seronni.com.br/gordura

Resumindo, a gordura é essencial a saúde da vida, da reprodução, do cérebro, da pele, dos órgãos, enfim, está em todas as células do nosso corpo, deve ser a base da nossa pirâmide alimentar, é ela que nos fornece energia a longo prazo, dá sabor ao alimento, portanto, aprenda a consumir as gorduras saudáveis sempre com proteínas e vegetais e fique longe, exclua da sua vida as gorduras hidrogenadas, cancerígenas, fabricadas pelo ser humano, em especial o sorvete e frituras de pastéis de feira com óleos trans.

No próximo episódio vamos falar sobre azul de metileno – turbinando o cérebro e o corpo!

Então, o que você achou dessas dicas, qual assunto você gostaria de saber mais a respeito?

Ficou com alguma dúvida? Venha fazer parte da nossa comunidade no Facebook O Doutor Saúde e sanar todas suas dúvidas!

Curta, comente e compartilhe usando o iTunes e assine este podcast no seu dispositivo Apple, através do aplicativo podcast ou no seu dispositivo Android usando o aplicativo podcast da sua preferência, assim você fica sabendo sempre quando tiver um novo episódio, e é claro, estamos também no Spotify e no Dezzer.

Continue acompanhando este podcast eu sou Abílio Seronni, o Doutor Saúde do Dicas Curtas.

Um abraço e até a próxima semana.

Pin It on Pinterest

Share This