Ouça agora este podcast!

“084 Harmonização Orofacial – Parte 06 – Fototerapia – O ”elefante branco” da saúde!”

Já imaginou você reduzir drasticamente aquelas foliculites constantes no seu pós barba? Se proteger contra futuras intercorrências pós qualquer procedimento invasivo no seu corpo? Não se preocupar mais com a piora das manchas no rosto ou daquela gengiva que vive sangrando após a instalação das famosas lentes de contato? 

Olá, aqui é Abílio Seronni, O Doutor Saúde, do Dicas Curtas e se você ficou curioso para saber qual é essa técnica, agora eu vou revelar os poderes do fóton, ou da luz! 

Fique comigo pois está começando o sexto episódio da série HOF – Harmonização OroFacial que estamos abordando em cada episódio uma técnica diferente e suas indicações.

Então vamos lá!

 

Depois de revelar cinco segredinho nos episódios anteriores da série HOF, agora chegou a vez de falar do sexto queridinho do protocolo do Doctor Rey, o cirurgião plástico das atrizes de Hoolywood, em parceria com a Odontobranding que nos revelou durante o curso de imersão ministrado na Flórida e que você vai ter acesso em primeira mão, aqui no Dicas Curtas, comigo, o Doutor Saúde!

Nós humanos, somos capazes de detectar faixas de ondas no espectro de luz que varia entre 400 à 700nm. Abaixo disso temos o Ultravioleta e acima disso temos o Infravermelho. Existem dois tipos de luz que utilizamos muito. Temos uma luz monocromática que é difusa chamada de LED, ou Diodo Emissor de Luz. Para quem não sabe, diodo é um cristal polarizado que quando passa energia elétrica, produz luz.  Inúmeras são suas indicações como: televisores, em shows, em lâmpadas, semáforos e cameras fotográficas. Agora se descobriu inúmeras indicações no campo da saúde, principalmente quando associado a fotos sensibilizadores, daí o nome de terapia fotodinâmica ou PDT. Podemos usar os LED’s nas harmonizações faciais como para ação antimicrobiana, modulação da inflamação, analgesia e reparação tecidual, ideal para se evitar intercorrências como necroses e infecções.

Também temos a luz monocromática, coerente, que tem sincronismo e é colimada, ou seja, tem direção única chamado de LASER, abreviação em inglês de Amplificação da Luz por Emissão Estimulada de Radiação, em outras palavras, luz de energia eletromagnética com características especiais indicado nas indústrias para cortar metais, medir distâncias, no comércio como leitores de código de barras, na informática para transportar dados em cabos de fibra ótica e leitores de CD e DVD, no militarismo usado nas miras lasers, enfim, suas indicações no nosso dia a dia são descobertos a cada dia e agora invadiram as clínicas de saúde e estética.

Temos um verdadeiro ”Elefante branco” a nossa disposição pois acredito que não utilizamos nem 1% de toda a capacidade que essa luz tem para nos oferecer. A princípio, utilizamos em duas versões: Baixa potência com fins terapêuticos com ondas vermelhas para tratar mucosites, gengivites, aftas, herpes , hematomas e até mesmo promover as depilações definitivas de barbas, axilas e com ondas infravermelhas para tratar edema, dor, parestesias e paralisias, estímulo de proliferação de células ósseas e até mesmo reversão da toxina botulínica em caso de ptose (queda) de pálpebra e correção de assimetrias facias. Já na Alta potência, utilizamos com fins cirúrgicos para fazer cirurgias de freio de lábio, cirurgias da gengiva, tratamentos de cárie, de sinusite, enfim, inúmeras indicações cirúrgicas.

Agora que você conheceu as suas indicações, vou apresentar a sexta técnica para gerenciar o envelhecimento da pele com saúde e beleza – o fóton.

Antes de falar da técnica , você sabia, quando utilizamos o LED ou o LASER DE BAIXA POTÊNCIA com substância fotosensibilizadoras, esta dupla tem ação  antimicrobiana? Essa foi uma das grandes descobertas para revolucionar as profilaxias no campo da saúde e evitar as grandes intercorrências intercorrências. A utilização da luz, com efeitos terapêuticos, já existe desde os primórdios da civilização. Por exemplo, no ano 1400 A.C., existem registos de que os hindus associavam os banhos de Sol com plantas medicinais para tratar o vitiligo. Contudo, foi a partir de 1903, quando Niels Finsen recebeu o Prêmio Nobel pela utilização da radiação U.V. para o tratamento do lúpus vulgar que a fototerapia começou de fato, a ser estudada e aplicada no tratamento de várias dermatoses.

 

Agora, preste atenção na s duas fototerapias mais usadas, LED e LASER:

 

LED:

O LED, decoberto em 1961 por Robert Biard e Gary Pittman, a princípio, era uma radiação infravermelha. Um ano depois, em 1962, Nick Holonyak Jr. conseguiu obter luz avermelhada a partir dele. Em 1989, foi possível obter também luz azulada de LED, que passou a ser usada em aparelhos de TV.

E foi a partir de 1999 que adotou-se o LED no ramo da iluminação, ou seja, na constituição de lâmpadas. O mecanismo de funcionamento é similar ao da lâmpada de Thomas Edison, porém, tem uma grande vantagem, gera luz sem necessidade de calor, o que aumenta e muito sua longevidade. Um led, para você se surpreender, pode ficar acesso direto até 15 anos sem queimar. Foi uma revolução. A Nasa começou a usar o LED para fazer as plantas crescerem mais rápidas, então, despertou o interesse em usar nos seres humanos.

Agora, viralizou nas clínicas de saúde e estética como: bonés capilares para tratar calvície e máscaras faciais na forma de cromoterapia, que é a terapia pela cor, por exemplo, quando se usa o led na cor azul, é coadjuvante para tratar acne e má circulação, na cor vermelha, ajuda a suavizar as rugas, na verde já combate as manchas, na cor roxa funciona como antioxidante para proteger e fortalecer a pele e assim por diante. Cada cor com sua respectiva função. Mas a grande sacada foi associar a substâncias fotossenssibilizadoras como azul de metileno ou de toluidina para ter efeito antimicrobiano.

 

LASER:

O laser, inventado em 1960 pelo físico americano, Theodore Harold Maiman, no inicio utilizada rubi como meio ativo. Produzindo um luz pulsada no comprimento de onda de 694 mm, que corresponde a cor vermelha. Esse comprimento de onda é utilizado em camadas superficiais, tecido mole para tratamento de microagulhamento e peeling faciais para fazer reparação tecidual na potencia em torno de de 2 a 3 joules de potência. Hoje temos laser com comprimento de ondas acima de 700nm, assim, já temos o laser infravermelho para atuar em camadas mais profundas, tecido duro, com objetivo de aumentar a permeabilidade celular, efeito biomodulador da inflamação, aumento do tônus muscular, melhora da microcirculação por causa da melhora do potencial zeta, ou seja, toda parte sólida quando em contato com o líquido adquirem uma carga elétrica em sua superfície podendo este promover dispersão ou agregação, essa movimentação se dá pelo potencial zeta e por fim melhora da drenagem linfática e redução do edema e da dor nas potência de 3 a 6 Joules. Existe uma técnica, talvez seja a dica de ouro para você ouvinte que quer dar um ”boom” na sua saúde que é a técnica chamada de ILib modificado que é fantástica, inventada pelos alemães, muito utilizado para tratamentos de dor crônica,  que se trata de uso do laser fixado ao pulso que atua na artéria radial, onde se usa a radiação de 10 a 40 minutos e tem se todo o efeito de analgesia, modulação e reparação tecidual e existem aparelhos no mercado que estão associados a frequência do DNA, isso mesmo, é capaz de ressonar com o nosso DNA estimula literalmente o nosso rejuvenescimento. 

A técnica na área da estética consiste em aplicação direto na pele. Para cada indicação se usa um tipo de ponteira. As sessões duram em média 15 a 30 minutos. Os resultados podem aparecerem imediatamente como também em semanas, podendo repetir as sessões para potencializar os resultados. 

Resumindo, as fototerapias ainda são poucas suas descobertas quanto ao seu uso no nosso dia a dia, por isso a chamei de ”elefante branco”, mas quando bem indicada e dentro da técnica é uma excelente opção para quem quer gerenciar o envelhecimento com saúde e beleza. 

Para tirar dúvidas ou agendar uma avaliação o link está na descrição.

link: http://bit.ly/duvidasdoutorsaude

No próximo episódio vamos falar sobre ”RITIDOPLASTIA e as cirurgias de corte – literalmente cortando a velhice!

Espero que tenha gostado do episódio de hoje! Tem algum assunto que você gostaria de saber mais a respeito?

Ficou com alguma dúvida? Venha fazer parte da nossa comunidade no Facebook O Doutor Saúde e sanar todas elas!

Se você gostou curta, comente e compartilhe o Dicas Curtas em suas redes sociais.

Aproveite agora para assinar e acompanhar esse podcast através do seu dispositivo Apple ou Android, sendo que você também pode encontrar o O Doutor Saúde no Spotify e no Deezer.

Agora um anúncio muito importante:

Sabia que a partir de agora você também pode ajudar o Dicas Curtas a crescer ainda mais fazendo parte do grupo de “Apoiadores”?

É isso aí! Com incentivos a partir de 1 real por mês, você ajudará o Dicas Curtas a alcançar mais pessoas, incluir novos experts, e claro, ter acesso ao grupo de apoiadores no Facebook para receber conteúdos especiais e ter acesso a lives exclusivas para poder tirar suas dúvidas ao vivo com o expert de sua preferência.

Para ser um apoiador basta acessar o site: apoia.se/dicascurtas

O link vai estar disponível na descrição do episódio!

Ficamos por aqui. Continue acompanhando este podcast eu sou Abílio Seronni, o Doutor Saúde do Dicas Curtas.

Um abraço e até a próxima semana.

Pin It on Pinterest

Share This