Ouça agora este podcast! “013 O investimento do momento”

O método de acumulação de patrimônio que evita o “investimento da vez” (do momento, da moda ou o que vai “bombar”) que será aqui apresentado foi inicialmente apresentado por Benjamin Graham em seu livro “O Investidor Inteligente” publicado inicialmente em 1949 e que até hoje é considerado como o livro de referência da matéria.

O livro Investidor Inteligente

Em seu livro, Graham, além de indicar critérios específicos para identificar a compra de ações em um momento oportuno (baratas – quando parâmetros de avaliação fundamentalista assim o indicarem), também aconselha o investidor inteligente de como deverá alocar seu capital:

Por causa das incertezas do futuro, o investidor não pode colocar todos os seus ovos na mesma cesta, seja na cesta de títulos [renda fixa] (…), seja em uma cesta de ações (…). O maior dos riscos seria o de manter uma carteira composta exclusivamente de títulos. (p.79)

A Fórmula

Somos então levados a propor para a maioria de nossos leitores o que pode parecer uma fórmula exageradamente simplificada de uma divisão meio a meio. Segundo esse plano, a orientação geral é manter, tão perto quanto possível da prática, uma divisão igualitária entre títulos e ações. Quando as mudanças no nível de mercado tiverem aumentado o componente de ações ordinárias para, digamos, 55%, o equilíbrio seria restaurado pela venda de um décimo da carteira de ações e a transferência da receita auferida para os títulos. Inversamente, uma queda na proporção de ações para 45% implicaria o uso de um undécimo do fundo de títulos para adquirir ações adicionais. (p.113)

Automatizar

O importante, ao se analisar as palavras de Benjamin Graham, é verificar que ele propõe um método que seja automático ao investidor amador para que, assim, ele não fique sujeito aos aspectos psicológicos dos investimentos.

Dessa forma, acabe por realizar uma decisão não objetiva. Isso parte do pressuposto de que o investidor inteligente entende que não sabe qual será o futuro do mercado (se as ações vão cair ou subir) e que, caso tente adivinhá-lo. Acabará então por fazer o pior possível: comprar no topo (pois, todos nesse momento estão em euforia – contagiando o investidor) e vender no fundo (pois, nesse momento, o mercado estará em pânico – sendo contaminado pelo sentimento de necessidade de venda imediata).

Ao compreender a importância de um método automático que elimine a tendência do investidor de jogar seu dinheiro fora, Maurício Hissa, conhecido como “Bastter”, lançou o livro “A Filosofia Bastter de Acumular Patrimônio” em que aprimora as linhas gerais trazidas por Graham e eu também tentei fazê-lo em meu livro “Investindo sem Mistério” (ebook disponível na Amazon – Marcelo Cunha de Araujo).

Investidor Inteligente do Dicas Curtas

Pin It on Pinterest

Share This