Ouça agora este podcast!

“149 O que é cashback e quais são os cuidados que nós devemos ter?”

Hoje é muito comum você realizar compras e transações financeiras através da internet. Você pesquisa por um produto ou serviço em seu navegador, entra em um site, avalia os detalhes do produto ou do serviço, verifica se aquilo que precisa ou deseja pode encaixar em seu orçamento e, se tudo estiver ok, você realiza a compra: podendo ser à vista, por boleto, via cartão de crédito (parcelado ou não) ou até mesmo cartão de débito. Daí, basta esperar o produto chegar, seja na sua casa, seja no seu e-mail (se for um produto virtual) ou esperar o serviço ser prestado.

Esse é o podcast do Investidor Inteligente que todas as semanas traz para você informações valiosas sobre sua vida financeira, respostas sobre como usar melhor o seu dinheiro de maneira mais harmônica, procurando te ajudar na importante tarefa de se tornar mais sensível à sua vida financeira para cuidar bem do seu dinheiro.

Eu sou Phillip Souza, palestrante, consultor e educador financeiro especialista em finanças pessoais e desenvolvimento humano, o expert em Finanças e Investimentos do Dicas Curtas, e tenho o nobre e ousado objetivo de te ajudar na desconstrução, reconstrução e transformação da sua mente para que você possa aprender a evoluir e se comportar de forma mais sábia e próspera em relação às suas finanças, transformando-se em um investidor ainda mais inteligente.

Esse e os outros podcasts do Dicas Curtas são gratuitos. Portanto, você pode seguir e assinar agora o Investidor Inteligente nas diferentes plataformas de podcast em seu smartphone para não perder nenhuma dica, ficar por dentro com todas as informações e acompanhar todas as semanas os novos episódios para poder usufruir e aprender com o seu presente e construir e cuidar do seu futuro!

Você adora fazer compras online: prefere a comodidade de realizar suas compras e recebe-la em casa ou no endereço que você indicar. Curte a facilidade das transações, gosta de entender os detalhes do produto que quer comprar, gosta de pesquisar produtos similares comparando-os e se tiver que ir em uma loja física para decidir já vai direcionado no produto escolhido talvez só para tirar algumas dúvidas que vídeos ou fotos não puderam esclarecer.

Mas você sabia que é possível recuperar parte do dinheiro que você vai gastar em suas compras? Esse modelo de compras é conhecido pelo nome de cashback que, em inglês, significa literalmente “dinheiro de volta”. Nos Estados Unidos e em outros países no exterior, esse tipo de transação é muito comum e, por aqui no Brasil, é um modelo que tem ganho cada vez mais força, especialmente com o surgimento de empresas especializadas, como a Méliuz. Eu já queria deixar claro que esse podcast não é patrocinado por essa ou qualquer outra empresa, mas a Méliuz especificamente é a empresa mais antiga no Brasil com esse tipo de proposta então não tem como não citá-la como exemplo.

Qual a ideia do cashback?

Basicamente, o cashback funciona como uma espécie de programa de fidelidade, em que o usuário se cadastra no serviço de cashback, faz compras em sites parceiros e, depois de acumular certo valor em compras, o dinheiro volta para a conta corrente do comprador. É, é isso mesmo: o dinheiro que volta é devolvido em dinheiro mesmo.

Isso é muito interessante porque, de uma forma ou de outra, nós economizamos ou pelo menos temos de volta um pequeno percentual daquilo que já foi gasto. Comprar bem e economizar são habilidades que temos de desenvolver em nossas finanças, habilidades que pertencem à macro-habilidade de usar bem o nosso dinheiro (como já disse em outros podcasts: as outras duas macro-habilidades tratam-se de fazer dinheiro e investir dinheiro).

O que você precisa para ter acesso aos diferentes cashbacks?

O usuário que quiser reaver uma parte do dinheiro com suas compras online deve, antes de tudo, se cadastrar nas empresas que fazem esse tipo de intermediação. Isso porque não é possível reaver qualquer valor quando a compra é feita diretamente nos sites de e-commerces — é preciso ter o intermediário que garanta a transação.

Mas como que essas empresas ganham alguma coisa? De graça não é, certo?

Pode acontecer pelo menos de duas formas: 1) as lojas parceiras pagam para anunciar nos sites e nos apps e a loja de cashback divide esse valor com quem comprou através delas; ou 2) por redirecionar o usuário a um site parceiro específico, a empresa de cashback ganha uma comissão – mais ou menos como acontece com anúncios pagos na internet. A empresa de cashback consegue um comprador para o e-commerce que, por sua vez, paga por essa “ajudinha”. Parte desse dinheiro é dividido com o usuário e, assim, acontece a recompensa. Todo mundo ganha: o usuário, que ganha cashback; a empresa de cashback que ganha a comissão pelo redirecionamento ou pelo anúncio em seu site; e o e-commerce que ganha a venda.

Como que o cashback funciona na prática?

Depois de realizado um cadastro, o usuário tem acesso às empresas parceiras do site de cashback e dali tem diversas possibilidades: desde vouchers com códigos promocionais a cashbacks da loja em si. Dali você habilita a função para ter o dinheiro de volta; uma vez logado, o usuário é redirecionado para o e-commerce desejado e realiza a compra normalmente. Um sistema de rastreamento identifica suas compras e registra, em sua conta, o valor de reembolso devido para cada aquisição.

As regras variam de empresa para empresa, mas geralmente o saldo é cumulativo e fica armazenado na conta do usuário até atingir um valor mínimo para resgate: R$20/R$30, sendo que a maioria das empresas de cashback no Brasil realizam depósitos direto em conta corrente ou através de plataformas como o PayPal; algumas inclusive oferecem a troca do cashback por benefícios em lojas parceiras. Essas transações são realizadas de forma gratuita para o consumidor e os depósitos de devolução de dinheiro são feitos uma vez ao mês.

Quais são as empresas que existem no Brasil?

Vou citar uma lista rápida sem especificar os detalhes de cada uma só para você ter um direcionamento caso queira usar esse modelo de compras: Méliuz, Mooba, BeBlue e Ganhe de Volta, só para citar algumas. Se você não conhece e quer dar uma olhada em cada uma dessas empresas de cashback, seja para fazer seu cadastro ou mesmo pesquisar as diferenças, basta acessar a transcrição desse podcast no blog e clicar no nome dessas empresas, pois você já vai encontrar um link de convite para já receber cashback ao realizar seu cadastro além de te direcionar aos sites dessas empresas.

Vale lembrar que as regras da quantidade de dinheiro devolvido mudam de um site para outro, mudam dependendo do momento (como datas comemorativas, Black Friday, etc), mas o princípio de funcionamento básico é o mesmo.

Existe cashback apenas em lojas virtuais?

Não. O cashback existe tanto em lojas virtuais quanto em lojas físicas.

Nos e-commerces, nas lojas virtuais, o consumidor deve adotar os seguintes passos para resgatar os seus benefícios:

  • Fazer o cadastro em um site de cashback;
  • Procurar, na plataforma, a loja em que tem interesse de fazer a compra;
  • Escolher a loja para que os descontos disponíveis sejam apresentados;
  • Realizar a compra.

Ao efetivar a transação, o crédito estará à disposição do cliente. Contudo, as lojas costumam demorar um certo tempo para aprovar a compra para a empresa de cashback. Somente após essa aprovação é que se tem a liberação do crédito.

Além dos e-commerces você também pode usar os benefícios de cashback em lojas físicas parceiras. Nessas lojas, o procedimento ocorre da seguinte forma:

  • O varejista deve ter a máquina específica do programa de cashback;
  • Quando o consumidor passa o cartão para efetuar a compra, o crédito é recebido de forma automática na conta cadastrada no sistema.

Mas, apesar do dinheiro ser depositado automaticamente na conta cadastrada, também é necessária a confirmação para que o crédito seja liberado para o consumidor.

Quais lojas têm programa de cashback associado?

Isso vai depender da plataforma, mas são muitas, muitas lojas: Amazon, Casas Bahia, Livraria Cultura, Netshoes, Droga Raia, Lojas Americanas, Submarino, AliExpress, Magalu, Mercado Livre, Udemy, Shoptime, Natura, Booking, Hoteis.com – isso só para citar algumas que, dependendo da plataforma, chegam a milhares de lojas parceiras. Dá para ter cashback em praticamente todo tipo de segmento, basta pesquisar e ver se oferecem o produto ou serviço que você deseja comprar.

É interessante observar que de uns tempos pra cá, alguns fundos de investimento têm programas de cashback: devolvem parte do valor cobrado em taxa de administração aos seus investidores. Existem cartões de crédito que devolvem um pequeno percentual das compras realizadas através deles no formato de cashback. Isso só para citar dois exemplos mais fáceis de se encontrar. Com isso podemos perceber que essa modalidade de compra também tem crescido no mercado financeiro, beneficiando investidores dessas aplicações ou instrumentos que possuem cashback.

Quais cuidados que devemos ter para receber o dinheiro de volta?

Para que os programas de cashback não ocasionem qualquer transtorno tanto para as empresas quanto para os consumidores, alguns cuidados devem ser tomados.

Verificar a credibilidade da empresa: ou seja, antes de realizar o cadastro nos sites de empresas de cashback ou de efetuar qualquer compra, é importante que você analise a sua credibilidade no mercado para evitar ser vítima de golpes ou de roubo de informações. Para isso, é importante verificar a opinião de clientes ou ex-clientes, avaliar a reputação da empresa em sites especializados e buscar todas as informações que julgar relevantes.

Analisar as regras: afinal, todos os programas de cashback têm suas próprias regras, que são estabelecidas previamente em contrato. Por isso, é importante que você observe aspectos como:

  • Valor mínimo de resgate;
  • Forma de reembolso;
  • Quantidade de lojas parceiras;
  • Porcentagem média de resgate;
  • Existência ou não de prazo de expiração dos valores reembolsados.

Evitar a compra por impulso. Como se tratam de empresas que concentram lojas de compras, esse cuidado deve ser redobrado, pois você pode se sentir incentivado a realizar compras desnecessárias apenas pelo fato de receber parte do valor gasto de volta. Isso pode virar um vício, com um nome bem esquisito: oniomania, que é o vício em compras, é um transtorno psicológico em que a pessoa é incapaz de lidar com os próprios impulsos – mesmo quando está cheio de dívidas. Mas isso é assunto para outro podcast.

Por isso, é importante que você avalie realmente a necessidade de cada compra para que o cashback não se torne um fator de endividamento e, que sim, traga boas economias ao seu orçamento. Particularmente, depois do cadastro eu desativo todo tipo de notificação de ofertas e promoções seja por SMS, por aplicativo ou e-mail. Todo ser humano pode ser tentado: eu prefiro ter a possibilidade de usar a ferramenta para ter dinheiro de volta, mas sem ser exposto constantemente às ofertas que podem me levar a consumir desnecessariamente (as livrarias ficam tristes com essa prevenção da minha parte).

E nós também devemos avaliar as ofertas “tentadoras”. Muitas empresas fazem ofertas e oferecem descontos constantemente para atrair a atenção dos clientes e, por consequência, aumentar as suas vendas. Por isso, é importante que você esteja atento a essas oportunidades e avalie a real vantagem de adquirir esses produtos ou serviços.

Para finalizarmos eu queira te passar uma orientação simples que pode mudar a forma como você economiza, nesse caso, através do cashback. Se você avaliar e compreender que o uso de cashback é interessante para sua vida financeira, essa pode ser uma estratégia bem bacana de realizar economias e, já que esse dinheiro vai voltar para você, direcione essa economia para investimentos, incrementando seus aportes, construindo mais rapidamente seus objetivos, planos e projetos. Afinal, quando a gente consegue economizar algum dinheiro em alguma compra não costumamos investir a diferença: costumamos gastar com outra coisa. Nesse caso, o dinheiro que voltar (o dinheiro que foi economizado em cashback) você direciona para seus investimentos, quaisquer que sejam eles.

O podcast do Investidor Inteligente também pode ser um pouco seu! Acesse a transcrição no blog do Dicas Curtas caso queira deixar algum comentário para esse episódio! E você também pode participar mais fazendo a mesma coisa encontrando a postagem no perfil do Dicas Curtas tanto no Instagram (siga @dicascurtas) quanto na fanpage do Investidor Inteligente no Facebook. Aproveita para seguir o perfil, curtir a página e as postagens, marcar seus amigos e compartilhar com eles o que você está aprendendo aqui!

Caso queira, você também pode participar da comunidade exclusiva do Investidor Inteligente no Facebook, expondo suas dúvidas, dando suas sugestões de novos temas e apresentando postagens que agreguem à comunidade: para manter o grupo saudável, só não vale postar spam e nem publicidade, ok?!

Todos os links estão na transcrição no blog e na descrição dos episódios.

Assine agora e acompanhe esse podcast através do seu dispositivo Apple ou Android, sendo que você também pode encontrar o Investidor Inteligente pelos apps Spotify ou Deezer.

Aproveite para escutar ou reescutar outros episódios que sejam importantes para você nesse momento. Lembre-se de cuidar bem de você, de sua família e de suas finanças! Que Deus te abençoe!

Aqui é Phillip Souza, o Investidor Inteligente!
Investidor Inteligente do Dicas Curtas

Pin It on Pinterest

Share This