Ouça agora este podcast!

“160 Os 3 mecanismos inconscientes da Ausência de Prosperidade”

 

O pobre é pobre porque ele pensa como pobre, se sente como pobre e se comunica como pobre.

Essa é uma estrutura de pensamento e entendimento muito forte e muito profunda que inúmeras pessoas não percebem o porquê de não prosperarem.

Além disso, essa frase-pensamento tão contundente logo no início desse episódio marca um novo posicionamento na minha carreira. Finalmente consegui alinhar tudo o que eu já aprendi em relação à neurociência, programação neurolinguística e mercado de capitais em uma metodologia exclusiva de atendimento para promover a verdadeira prosperidade na vida das pessoas, independente se estão com dívidas ou se são investidoras. É claro que continuo aprendendo e aperfeiçoando – afinal, tudo se trata de um grande processo de desenvolvimento!

Você já parou para pensar no porquê, no motivo de muitas pessoas ou até mesmo você não prosperar financeiramente? Você faz tudo certinho, controla suas finanças, poupa, investe, mas parece que está andando com o freio de mão puxado… não vai pra frente, não anda!

Pela primeira vez eu vou relevar isso em público e, sinceramente, eu acho que você não vai encontrar isso em mais lugar nenhum. Eu quero te explicar a profundidade da afirmação que fiz: te explicar o porquê as pessoas são pobres, te explicar o porquê das pessoas experimentarem ausência de prosperidade em suas vidas.

Então preste bastante atenção a partir de agora.

 

 

Você está escutando o podcast do Investidor Inteligente; todas as semanas você pode nutrir a sua vida financeira com informações gratuitas de qualidade, apresentadas de forma bastante harmônica, lançando luz sobre diversos assuntos relacionados à finanças e investimentos.

 

Eu sou Phillip Souza, palestrante, consultor, educador financeiro e terapeuta financeiro especialista em inteligência financeira, o expert em Finanças e Investimentos do Dicas Curtas; tenho o importante desafio de te ajudar a destravar a sua mentalidade e entender que a prosperidade também é para sua vida: usando bem o seu dinheiro você pode desfrutar de qualidade de vida, fazer com que ele sobre e investi-lo para realizar seus sonhos e objetivos! Isso tudo para que você possa evoluir em seu comportamento a partir da desconstrução, reconstrução e transformação da sua mente ampliando sua percepção, aprendendo, evoluindo e se comportando de forma mais sábia e próspera em relação às suas finanças, transformando-se em um investidor ainda mais inteligente.


Esse e os outros podcasts do Dicas Curtas são gratuitos. Portanto, você pode seguir e assinar agora o Investidor Inteligente nas diferentes plataformas de podcast em seu smartphone para ficar por dentro com todas as informações, não perder nenhuma dica e acompanhar todas as semanas os novos episódios para poder usar bem o seu dinheiro no presente e investir pensando no futuro!

 

Riqueza e pobreza são apenas resultados: é o que acontece depois de uma imensidão de processos desenrolarem na vida de uma pessoa. Se é resultado, caso mudemos os processos, o resultado também muda. Afinal, nesse caso, a ordem e a relevância dos fatores altera o produto, o resultado.

 

Mas quais são os fatores da ausência de prosperidade?

Para responder essa pergunta nós vamos desmembrar a frase que citei no início desse episódio em 3 partes: pensamento, sentimento e comunicação.

 

O pobre é pobre porque ele pensa como pobre.

Uma pessoa pode não prosperar devido à qualidade de seus pensamentos.

Muita gente diz querer prosperidade e riqueza em sua vida, mas um dos seus maiores empecilhos está relacionado ao que ela PENSA sobre esse assunto. A pessoa tem uma realidade observável diferente daquela que ela diz querer ou pensar. Existem muitos livros, muitos vídeos, muitos materiais falando sobre mudança de pensamento, mudança de crenças. Ajudam bastante para começar a trabalhar a mentalidade, mas pouca gente consegue colocar as informações em prática consistente.

O que seria essa qualidade de pensamento? O pensamento inconsciente é muito amplo, mas podemos definir como a forma como você percebe conceitos relacionados à riqueza, à prosperidade e ao dinheiro.

Você quem tem que avaliar sua própria condição, já que não estamos realizando um trabalho de atendimento particular nesse momento. Contudo, eu quero que você escute esse podcast para ter um apanhado geral, mas também escute novamente e entre no blog do Dicas Curtas e acesse essa transcrição para poder anotar com calma suas impressões relacionadas a dinheiro.

Pessoas que têm mentalidade pobre veem as pessoas com dinheiro com desdém, com raiva, como pessoas que são exibidas, veem pessoas com dinheiro sob a ótica da inveja e até torcem para que elas se ferrem em algum momento. Nutrem inconscientemente o entendimento que o dinheiro faz com que as pessoas se tornem más, se tornem avarentas, mesquinhas, que faz a pessoa se tornar mão-de-vaca, que dá tchau até de mão fechada.

Em sua experiência pessoal existem frases e ensinamentos que ressoam em suas mentes, como seus pais ou pessoas importantes dizendo que o rico, o endinheirado não presta, porque se prestasse dividiria sua riqueza com os pobres; que aquela personalidade famosa tem um vidão porque ele ganha rios de dinheiro às custas dos pobres; que o dinheiro causa discórdia e guerra entre a família, que é sempre ponto de tensão e é um assunto delicado que só pode ser tratado entre 4 paredes e com muita delicadeza.

Uma pessoa pobre pensa que para ter mais dinheiro ela teria que se matar de trabalhar, teria que abrir mão da família, de toda forma de lazer, trabalhar de domingo à domingo, 365 dias por ano (folga um dia, só no ano bissexto) e talvez tivesse que fazer coisas erradas para ficar rica, milionária.

Pessoas pobres pensam que se fossem realmente ricas comprariam uma Ferrari, uma mansão, viveriam torrando dinheiro, queimando dinheiro, fazendo viagens em todo tempo, tomando água mineral em taça de cristal com borda de ouro em Dubai (acredite, água mineral lá tem um preço bem alto), mas também pensa que se fosse muito rico teria grandes problemas com impostos, governo, assaltantes ou bandidos e sua família poderia ser constantemente alvo de ameaças; portanto, o dinheiro é mau.

É lógico que eu estou exagerando para ilustrar bem e os exemplos podem ser diferentes em relação aos pensamentos de pobre. Mas você quem deve parar e pensar em relação ao que você tem carregado em sua mente. Quais conceitos ou verdades não-tão-verdadeiras você pode estar carregando consciente e inconscientemente em sua vida, que nutrem uma mentalidade, que nutrem pensamentos de pobre? Só você pode apontar.

E porque isso é tão importante? Porque existem tantos materiais que tratam desse assunto, as tão chamadas “crenças financeiras”?

Isso é importante porque os pensamentos criam a sua realidade experimentada. A qualidade ou a falta de qualidade de seus pensamentos reproduzem aquilo que você experimenta em seu ambiente interno. Até mesmo pessoas que têm muitos recursos financeiros, vivem uma vida abastada, podem ter pensamentos de pobreza, de escassez. E isso pode provocar nessas pessoas a impressão de que aquilo que possuem é sem sentido, sem propósito ou que aquilo que têm não é suficiente.

Todo pensamento que você tem carrega uma característica neuropsicológica que transborda em sua vida exterior. Pensamentos podem se tornar crenças que são pensamentos acreditados. E as crenças filtram a sua realidade interna e externa: você se permite ou se proíbe de fazer determinadas coisas e também percebe mais ou deixa de perceber o ambiente ao seu redor.

Sim, o seu cérebro tem mecanismos que filtram aquilo que você literalmente vê com seus olhos; filtra aquilo que você ouve com seus ouvidos; e filtra o que você sente internamente e externamente no seu corpo. Ou seja: o cérebro filtra a sua atenção. Isso tudo altera a forma como você percebe e lida com seu ambiente interno (sua percepção de mundo) e seu ambiente externo, que traz limites e oportunidades.

Como que você pode mudar a qualidade dos seus pensamentos? Você pode parar de colocar lixo na sua cabeça. Mas como você pode estar colocando lixo em sua cabeça? Bem simples: as informações que você consome alimentam seus pensamentos. O que você vê nas redes sociais (Instagram, Facebook, YouTube, blogs), os filmes, séries e vídeos que você assiste, as notícias que você acompanha, as pessoas com as quais você conversa (seja pessoalmente ou através de chats de comunicação, como o WhatsApp, Messenger ou Telegram), os ambientes que você vive (especialmente aqueles que você tem o poder de decidir se quer estar ou não), tudo isso é informação para seus pensamentos.

Você absorve em maior ou menor grau aquilo que está ao seu redor, combinando de forma única com o que já está em sua mente. Se tiver coisa boa reforçada, pensamentos contrários e ruins não colam; mas o contrário também funciona: se tiver coisa ruim reforçada dentro de você, pensamentos bons não colam. Porém, a boa notícia é que com o tempo e com a exposição correta e adequada, os pensamentos ruins podem ir sendo substituídos por pensamentos melhores, de mais qualidade. E a sua decisão sobre onde, de quem e como absorver as informações positivas são determinantes para essa mudança.

Existem formas mais rápidas e mais diretivas de alterar significativamente a qualidade dos pensamentos de uma pessoa, mas através do podcast isso é praticamente impossível, porque entra no nível de pessoalidade: cada indivíduo vai apresentar uma experiência pessoal muito particular. Então só através de atendimento personalizado para ensinar como mudar e trabalhar essas qualidades de pensamento de forma mais rápida.

Contudo, não são somente seus pensamentos que interferem na sua realidade interior e exterior reproduzindo pobreza e escassez em sua vida. Se fosse assim, bastaria ler uma dúzia de livros sobre mentalidade financeira de sucesso e tudo estaria resolvido. Mas sabemos que não é assim que acontece. Os seus sentimentos reproduzem um grande impacto na sua realidade experimentada.

 

 

O pobre é pobre porque ele se sente como pobre.

Mesmo pessoas que dizem ter pensamentos prósperos ainda podem ser pobres porque não SE SENTEM prósperas. Daí ocorre mais uma dissonância cognitiva: a realidade experimentada é diferente da realidade idealizada.

Você pode pensar de forma maravilhosa, que sua vida será de luxo, de riquezas e abundância; pensar que estará em um cruzeiro realizando aquela viagem espetacular; dirigindo carrões, vivendo em lugares extraordinários. Viver literalmente no mundo dos sonhos fantásticos. Mas se você não sentir a prosperidade, isso só vai ser ilusão.

Com certeza você já deve ter ouvido sobre filmes, cursos e técnicas de mentalização, do poder do pensamento, da imaginação e que sua vida vai ser diferente se usar esses instrumentos. Eles são essenciais, de fato. Mas só eles não mudam nada. Deixa te contar uma coisa que talvez você não tenha percebido ou que ensinam sem deixar explícito: para sua vida mudar você precisa agir. É preciso fazer para que as coisas aconteçam.

Se você ficar só na mentalização, na imaginação, não vai cair dinheiro no seu colo, você não vai conseguir construir meios para que você alcance seus mais ambiciosos sonhos. A sua vida não vai se transformar como se fosse um passe de mágica; pode até acontecer, sua vida começar a tomar um rumo devido aos exercícios de visualização, de mentalização, de imaginação direcionada. Mas sem ação, pouca coisa muda.

E ação tem a ver com emoção, com sentimento. Se não temos o entendimento que é preciso sentir para termos riqueza ou nos colocarmos em situações junto de pessoas que possam manifestar a prosperidade em nossas vidas, tendemos a não mudar nossas emoções, não mudar a forma como nos sentimos sobre riqueza, dinheiro e prosperidade e ao desanimar no processo de mudança, falhamos e não enriquecemos.

Esse é um dos principais segredos de qualquer mudança, não só na vida financeira. Pensamento correto é muito importante, mas pensamento correto sem o sentimento adequado não produz a ação que vai gerar os resultados que tanto desejamos.

Como que sente o pobre? O pobre se sente de forma diferente em relação às pessoas que são prósperas em vários sentidos. Por exemplo: em relação às contas a pagar sente dor, tristeza porque está vendo aquele dinheiro indo embora, justamente aquele dinheiro que dava para comprar tantas coisas legais… tem o sentimento de escassez, de que sempre está faltando coisas em sua vida e que esse vazio, essa escassez, só poderia ser substituída com aquela coisa que não foi comprada… tem o sentimento de que poupar dinheiro e investi-lo dá muito trabalho, e isso bate um desânimo sobrenatural de ver o dinheiro tão suado reservado para algo que talvez ele nem vá usufruir porque pode morrer no meio do caminho… 

Prosperidade? Que sentimento é esse? Isso nem faz parte do menu emocional de uma pessoa pobre. Fracasso financeiro? Isso o pobre sabe bem, porque é algo que ele sente todos os dias, não confia em si, não confia que faz um bom trabalho, o melhor trabalho e se sente um fracassado, profissional e, consequentemente, financeiramente: afinal, ele não tem nem um dinheirinho guardado na Caderneta de Poupança… ser rico? Isso é coisa de novela ou filme ou séries. O sentimento de ser rico é até estranho porque é algo que ele não sabe como lidar.

Pessoas ricas e famosas? São aqueles que gostam de esbanjar dinheiro? Desdém e asco é o sentimento que pode predominar em relação à esse tipo de pessoa. E se alguém próximo que ficou rico rápido? O sentimento que predomina é inveja, aquela inveja que consome porque quem deveria ser rico era ele… a ideia de ganhar muito dinheiro dá desânimo, dá preguiça, o corpo fica até mole. E o sentimento de doar dinheiro? O sentimento que passa é algo como “porque as pessoas não doam para mim?”.

Mais uma vez, estou exagerando para ilustrar os possíveis sentimentos e emoções experimentadas por uma pessoa pobre. Sentimentos assim drenam nossa energia, nosso poder de ação. Não são emoções elevadas, que te animam, trazem aquele frenesi de querer fazer acontecer. Simplesmente nos desligam da tomada.

E aqui entra uma sacada que talvez você nunca tenha pensado: o que e como você sente mexe com o seu corpo, com sua fisiologia, com estado físico do seu corpo e com sua neuropsicofisiologia. Como assim? Os sentimentos jogam, derramam, inundam a sua corrente sanguínea com neurohormônios e essas substâncias naturais fazem com que você se sinta de uma forma ou de outra, animado ou desanimado, disperso ou focado, com gana para fazer acontecer ou com vontade de ficar deitado na cama o dia todo esperando o tempo passar. A qualidade do seu sentimento determina a qualidade da sua ação.

Mas quais sentimentos devemos nutrir? Pessoas prósperas carregam sentimentos muito poderosos de gratidão. Mas não é aquela gratidão banalizada que as pessoas falam ou que falam porque é bonito. É um sentimento genuíno, profundo e sincero para a própria pessoa – não é para aparecer e ser um bom moço ou a boa moça porque faz um gesto simbolizando gratidão ou dizendo palavras que são bonitinhas. 

Gratidão é aquele sentimento que faz você chorar pelo tanto que você já é abençoado ou abençoada, pelas coisas e pessoas que você tem na sua vida, pelas oportunidades que já estão na sua frente, o sentimento de agradecer por tudo o que você já aprendeu, sejam momentos difíceis ou não, e por tudo que ainda vai vir, pelo futuro que ainda te espera e pelos sonhos e projetos da sua mente que você pode construir a partir de agora. É o sentimento. É a emoção.

Existem outros sentimentos importantes, claro. Felicidade, alegria, paz, ânimo, excitação e vários outros sentimentos mais elevados. Mas comece pela gratidão. Muitas pessoas nunca experimentaram ou pouco experimentaram gratidão real em suas vidas. E, também por isso, não conseguem trazer essa emoção com facilidade, pois seus corpos não estão treinados para sentirem gratidão.

Qualquer emoção é condicionada. As emoções que você sente hoje com mais frequência foram treinadas em você ao longo da sua história. E sabe o que é bacana? Você pode condicionar intencionalmente novas emoções. Com o tempo, com o reforço consistente e com a constância da prática você vai sentindo mais e mais e de maneira mais fácil aquela emoção que antes não estava lá; e aquelas emoções menos elevadas vão sendo desaprendidas ou se tornando estranhas para o seu corpo.

O que isso muda na sua vida? Tudo. A forma como você sente muda a qualidade dos seus pensamentos. Se você sente gratidão, fica cada vez mais difícil ter pensamentos de escassez, de que não tem mais jeito com sua vida financeira, que você é daquele jeito que prejudica suas finanças, você começa a se dar uma nova e melhor chance de prosperar de verdade. Você começa a entender que pagar contas é abençoar com o seu dinheiro a vida das pessoas que te venderam um produto ou prestaram determinado serviço; sim, eu sei, você não deveria ter comprado aquilo, mas você está abençoando a vida delas pelo trabalho que realizaram. É entender a lição que existe e ser grato pela dificuldade financeira que está enfrentando, pois assim você poderá se tornar mais sábio e mais forte diante dessa situação que molda e forja o caráter e a vida; é abençoar e dar o seu melhor em seu trabalho, entendendo que, por mais insignificante que possa parecer, você deve fazer o seu melhor e em breve as pessoas vão perceber seu empenho, sua dedicação, sua disposição em ser e fazer o melhor.

Pode parecer idiotice, mas tem uma cosia que provavelmente nunca te falaram tão claramente e isso não é misticismo, pois é medido através de instrumentos da ciência. O seu corpo é uma bateria ambulante. Tem inúmeras correntes elétricas correndo através de seus nervos, chegando em seus órgãos e músculos. O ponto é que a realidade eletromagnética dessas correntes elétricas são determinadas pelas suas emoções. E se estamos falando de eletromagnetismo, basicamente temos duas polaridades: não vou colocar como negativo ou positivo, mas basicamente polaridades que atraem ou repelem. Ou seja, você atrai ou repele situações e pessoas de acordo com o que você sente e pensa. Isso não é misticismo; é física – a gente só não se dá conta porque não vê ou não sente objetivamente, mas é medido. Por exemplo, o seu coração emite uma onda eletromagnética de até 6 metros de distância, para cima, para baixo, para frente, para trás, para os lados… e a qualidade dessas ondas eletromagnéticas é calibrada pelas suas emoções.

Mais uma vez: eu não tenho como trabalhar sentimentos nem ensinar como manipulá-los, emulá-los ou recondicioná-los através de um podcast. Isso cabe um trabalho personalizado para te ensinar a partir do seu padrão particular como quebrar e alterar padrões de sensações em seu corpo físico.

Diante disso tudo, chegamos ao terceiro e último ponto.

 

O pobre é pobre porque ele se comunica como pobre.

Geralmente, pelo pobre não ter pensamentos e sentimentos de prosperidade, ele COMUNICA consciente e inconscientemente a sua pobreza, construindo mais situações que reforçam a ausência de prosperidade na sua vida.

Inconscientemente a pessoa pode, devido a qualidade dos seus sentimentos e pensamentos, demonstrar com o seu corpo, com o seu tom de voz ao falar, com o seu rosto uma atitude de leveza, de ânimo, de disposição ou de desânimo, tristeza, pesar, cansaço. Isso é comunicação inconsciente. A forma como olhamos, a forma como falamos, a forma como andamos, a energia que empregamos nas coisas que fazemos, tudo isso comunica algo para quem nos vê ou tem contato conosco, nem que seja apenas uma única vez. Até as palavras que escolhemos inconscientemente para usar são determinadas pelo nosso estado interno, comunicando ou não aquilo que desejamos.

O ponto é que a comunicação, seja escrita, falada, verbal ou não-verbal, a forma como nos vestimos, como nos tratamos, como tratamos o nosso dinheiro (se organizamos as notas em nossa carteira, se o controlamos, se o valorizamos, se o poupamos), como tratamos as pessoas ao nosso redor… tudo isso comunica para o mundo para as pessoas se nós estamos com uma energia elevada ou não. E, como te disse antes, somos uma bateria ambulante que emite determinada energia, em determinada frequência eletromagnética.

E isso faz com que nós sejamos atraídos ou atraiamos pessoas e situações que sejam similares a esse campo eletromagnético. Se você está com uma vibe elevada, com sentimentos e pensamentos alinhados, prósperos, muito provavelmente você vai começar a perceber o mundo de forma diferente, ter ideias diferentes e no seu caminho pessoas vão surgir para te ajudar e situações podem aparecer para que seus propósitos, que estão alinhados com seu mundo interno, se concretizem ou comecem a acontecer. Não é magia. É o poder que Deus, o Universo ou, se preferir, o seu inconsciente já te deu e que você pode e deve usar para construir a sua vida.

Da mesma forma que se você estiver em uma vibração alta, com sentimentos e pensamentos elevados, atraindo situações e pessoas que também desejam e são prósperos, se você estiver em uma vibração baixa, com sentimentos e pensamentos baixos, atrairá situações e pessoas que reproduzirão essa realidade de menor qualidade em sua vida. Na física das relações humanas os similares se atraem.

Além disso você pode ficar tranquilo: se você se mantém em um estado geral mais elevado, aquelas pessoas que estão em um estado mais baixo podem ser repelidas. Ou elas vão se sentir deslocadas e vão se afastar ou elas vão ter que aumentar o nível do seu estado geral (pensamentos e sentimentos mais nobres e elevados) para poderem se relacionar com você. Esse é o jogo da prosperidade.

E mais uma vez: eu não tenho como saber como está o seu estado geral, nem a qualidade dos seus pensamentos ou sentimentos e muito menos como você se comunica consciente e inconscientemente, porque eu tenho que te conhecer e, se for para te ajudar, precisamos construir um relacionamento para poder perceber suas fraquezas e forças e te ajudar a pavimentar uma nova realidade interna e externa que se traduza em prosperidade suprema.

A minha pergunta para você agora é: sobre isso tudo que foi revelado e tratado nesse episódio, você enfrenta algum desses bloqueios e desafios na sua vida? Você sente ou tem o entendimento que sua vida está travada, não flui, não evolui ou sempre volta para o mesmo ponto, independentemente do que você faça? Se sim, você pode me encontrar através das redes sociais (como o Instagram ou o Facebook) através do @PhillipSouzaBR; se preferir, também pode acessar meu site www.PhillipSouza.com.br e me enviar um e-mail com sua demanda. Os links estão na descrição do episódio e na transcrição do podcast no blog do Dicas Curtas.


Vai ser um prazer te escutar, entender quais são seus desafios e necessidades, pensar em como posso te ajudar e desenhar uma proposta única e personalizada para que você possa destravar e curar sua mentalidade, suas emoções, e melhorar significativamente sua comunicação consciente e inconsciente e te ajudar a se apossar da prosperidade que já está disponível para você e para sua família, seja através de atendimento personalizado (orientação financeira, terapia de programação neurolinguística com foco em prosperidade ou planejamento de investimentos) seja através de eventos online ou presenciais (palestras, cursos, workshops, treinamentos ou mentorias em grupo). Basta entrar em contato para combinarmos.

 

 

O podcast do Investidor Inteligente também pode ser um pouco seu! Acesse a transcrição no blog do Dicas Curtas caso queira deixar algum comentário para esse episódio! E você também pode participar mais fazendo a mesma coisa encontrando a postagem no perfil do Dicas Curtas tanto no Instagram (siga @dicascurtas) quanto na fanpage dO Investidor Inteligente no Facebook. Aproveita para seguir o perfil, curtir a página e as postagens, marcar seus amigos e compartilhar com eles o que você está aprendendo aqui!

 

Caso queira, você também pode participar da comunidade exclusiva do Investidor Inteligente no Facebook, expondo suas dúvidas, dando suas sugestões de novos temas e apresentando postagens que agreguem à comunidade: para manter o grupo saudável, só não vale postar spam e nem publicidade, ok?!

 

Todos os links estão na transcrição no blog e na descrição dos episódios.

 

Assine agora e acompanhe esse podcast através do seu dispositivo Apple ou Android, sendo que você também pode encontrar o Investidor Inteligente pelos apps Spotify ou Deezer ou pelo seu aplicativo de podcast preferido.

 

Pense sobre o que tratamos aqui e coloque em ação o que você aprendeu. Lembre-se de cuidar bem de você, de sua família e de suas finanças! Que Deus te abençoe!


Aqui é Phillip Souza, o Investidor Inteligente!

Investidor Inteligente do Dicas Curtas



Pin It on Pinterest

Share This