Ouça agora este podcast! “024 Potência muscular”

Hoje vamos falar sobre potência muscular. Mas antes disso gostaria de te convidar a integrar o nosso grupo fechado no facebook. Lá você terá acesso a várias informações e textos sobre atividade física, acesso a outros ouvintes e também poderá esclarecer suas dúvidas direto comigo. Então procure pelo Cara da Academia e solicite sua participação.

 

O treinamento é um conjunto de variáveis que se unem para melhorar a performance de um movimento específico ou de um conjunto de movimentos. Podendo, dentro do mundo da competição esportiva, fazer a diferença e tornar um indivíduo vitorioso.

Entre as capacidades físicas a serem trabalhadas no treinamento esportivo, a potência muscular é a mais importante para alguns esportes. Um destes é o ciclismo.

Segundo FLECK & KRAEMER (1999), “potência é a velocidade em que se desempenha o trabalho”. Já para ZATSIORSKY (1999), “potência é a força dividida pela unidade de tempo”.

Já que a potência envolve um componente de força e um de velocidade, fica fácil observar que, maximizando a força e/ou a velocidade, aumentamos à potência. Talvez aí comecem alguns erros na hora de se tomarem decisões a respeito de como se desenvolver e treinar potência. Além disto, aparentemente a ciência é pouco clara em definir qual destes dois componentes influência mais no desenvolvimento da potência.

Um atleta iniciante tem dificuldades de gerar grandes taxas de força em movimentos rápidos. Uma dica para ser usada na musculação é a utilização de uma sequência pedagógica respeitando a qualidade na execução do movimento e uma progressão de carga adequada.  E não pense que esta progressão é perda de tempo. Logo no começo do trabalho de força, o atleta iniciante, apresenta uma melhora na performance, uma vez que sua treinabilidade é alta e mesmo com exercícios fundamentais na musculação já se percebe um ganho considerável. Como regra geral, quanto menos treinado é um indivíduo, mais treinável ele será. Já em atletas experientes, o treinamento de força por si só pode ser insuficiente ou pouco expressivo para se melhorar a potência, dependendo da especificidade do trabalho. Neste caso aparecem os exercícios pliométricos. Este tipo de exercício é um ciclo de movimento de alongamento e encurtamento muscular com grande velocidade, isso resulta em grande aumento da estimulação neural. O uso de instrumentos auxiliares como o medicine ball ou saltos sobre caixotes também podem ser indicados, além de aparelhos isocinéticos.

Para você que esta procurando melhorar seus resultados esportivos é fundamental o acompanhamento de um profissional de educação física. Estes treinos exigem planejamento a médio prazo.

 

 

 

 

Pin It on Pinterest

Share This