Ouça agora este podcast!

“159 Setores da bolsa: quais são os principais setores e as maiores ações de cada um?”

Você quer começar a investir no mercado de ações e se depara com centenas de diferentes empresas, logo de cara. Daí descobre que as empresas são agrupadas por setores, o que faz muito sentido. Mas cada setor tem uma série de características e peculiaridades. E aí, o que fazer?

Conhecer os principais setores da Bolsa de Valores é importante para quem deseja investir no mercado de ações. Independente se você pretende fazer day-trade ou investir a longo prazo, você precisará comparar empresas do mesmo setor para tomar suas decisões de investimento ou especulação.

Para quem opera através da análise técnica, enxergar discrepâncias entre empresas dentro do mesmo setor (e em alguns casos até fora do setor) e aproveitar essas distorções pode fazer com o trade se traduza em gain; para quem prefere a análise fundamentalista, entender como que o setor funciona, bem como suas particularidades, permite fazer uma análise ainda mais precisa do investimento.

Mas quais são os principais setores da bolsa, suas características e as maiores ações de cada um?

O Investidor Inteligente é o podcast que todas as semanas te ajuda a dar um upgrade na sua vida financeira te provocando a ampliar sua visão e te oferecer informações de qualidade sobre dinheiro, além de orientações e estratégias claras e específicas que podem mudar e melhorar completamente a relação com suas finanças seja para solucionar seus desafios, seja para alcançar seus mais ambiciosos objetivos, tanto de forma conceitual quanto de forma prática.

 

Eu sou Phillip Souza, palestrante, consultor e educador financeiro especialista em inteligência financeira, o expert em Finanças e Investimentos do Dicas Curtas. Meu propósito é te ajudar a destravar a sua mentalidade e entender que a prosperidade também é para sua vida: ao usar bem o seu dinheiro você pode desfrutar de qualidade de vida, fazer com que ele sobre e investi-lo para realizar seus sonhos e objetivos! Se comportando de forma mais sábia e próspera em relação às suas finanças você se transformará em um investidor ainda mais inteligente!

Esse e os outros podcasts do Dicas Curtas são gratuitos. Portanto, você pode seguir e assinar agora mesmo o Investidor Inteligente nas diferentes plataformas de podcast em seu smartphone para não perder nenhuma dica, ficar por dentro com todas as informações e acompanhar todas as semanas os novos episódios para poder alcançar um bom desenvolvimento na sua vida financeira tanto no presente quanto no futuro!

Grandes investidores e gestores de fundos conhecem os setores da bolsa na ponta da língua. Também por isso, alguns analistas escolhem segmentos para se aprofundar, tornando-se especialistas. Com a especialização, crescem as chances de entender as vantagens competitivas de cada empresa para identificar as melhores oportunidades.

E claro, você como investidor, pode aproveitar desse entendimento para poder tomar suas decisões de investimento de acordo com suas preferências e seus gostos. Vamos conhecer melhor todos os setores da bolsa e listar as principais empresas de cada segmento.

 

O que são os setores da bolsa

Os setores da bolsa de valores brasileira, a B3, são classificações que permitem dividir as empresas e separá-las uma das outras. Há uma série de critérios que a B3 considera para fazer essa classificação, mas em linhas gerais, a avaliação recai sobre os tipos e os usos dos produtos ou serviços de cada empresa.

Em seu site, a B3 aponta quatro razões para a criação dos setores da bolsa:

1) Garantir uma identificação objetiva dos setores de atuação das empresas;

2) Permitir uma visão do investidor sobre empresas que tendem a responder de maneira semelhante às condições econômicas;

3) Facilitar a localização dos setores das empresas listadas na Bolsa de Valores;

4) Seguir critérios do mercado financeiro nacional e internacional para classificação das empresas

No momento de dividir as empresas, a B3 considerou os produtos e serviços que geram mais receita para cada companhia. Para exemplificar a utilidade de dividir as empresas em setores, considere, por exemplo, que você esteja interessado em investir em alguma empresa que produz proteína animal.

Assim, basta acessar o site da B3 ou de outros portais de comparação de empresas e selecionar o setor de consumo não-cíclico, que reúne os subsetores da agropecuária, alimentos processados, bebidas, comércio e distribuição, produtos de uso pessoal e de limpeza.

Ao clicar sobre o segmento Carnes e Derivados, dentro do setor de “Consumo não-cíclico”, você terá acesso a uma lista com as seguintes empresas (dentre outras): BRFoods, Excelsior Alimentos, JBS, Marfrig, Minerva e Minupar.

Com poucos cliques agora você sabe quais são as empresas relacionadas à produção de proteína animal na bolsa de valores, e pode comparar o desempenho, as margens, a receita e os múltiplos de cada uma delas.

Vale lembrar que os critérios para definição de cada setor passam por revisões constantes, assim como a lista de empresas que compõem cada lista setorial. Então pode ser que as empresas citadas ao longo desse podcast, dependendo do momento em que você está escutando, sejam diferentes caso tenham mudado suas operações ou seu principal produto.

 

Principais setores da bolsa de valores

Agora que você já entendeu a importância de dividir as empresas em setores e quais são os critérios que a bolsa de valores utiliza para isso, é hora de conhecer os setores na mesma classificação utilizada pela B3:

 

Bens industriais

O setor de Bens Industriais inclui os subsetores de Comércio, Construção e Engenharia, Máquinas e Equipamentos, Material de Transporte, Serviços e Transporte. Este é um dos maiores setores da bolsa, incluindo desde segmentos de máquinas e equipamentos industriais até transporte rodoviário. Gigantes brasileiras, como Weg, Gol e Azul, estão listadas neste setor.

Algumas das principais empresas do setor de Bens Industriais são: Weg, Gol, Azul Linhas Aéreas, CCR S/A, Rumo Participações, Ecorodovias e Embraer.

 

Comunicações 

O setor de Comunicações inclui os subsetores de Mídia, Telecomunicações e Telefonia Fixa. Há empresas listadas nos segmentos Produção e Difusão de Filmes e Programas, Telecomunicações e Telefonia Fixa.

Algumas das principais empresas do setor de Comunicações são: Cinesystem, Oi, Telefônica Brasil e Tim

 

Consumo Cíclico

O setor de Consumo Cíclico é mais um setor gigante na bolsa de valores que abrange Automóveis e Motocicletas, Comércio, Construção Civil, Diversos, Hotéis e Restaurantes, Tecidos, Vestuário e Calçados, Utilidades Domésticas e Viagens e Lazer.

Esses subsetores se diferem do setor de consumo não-cíclico porque é possível viver sem consumir esses itens. Você vai reparar que provavelmente conhece as principais empresas deste setor: BurguerKing Brasil, Magazine Luiza, Via Varejo, Arezzo, Lojas Renner, Marisa, Hering, CVC, Vivara, Technos, Cogna, Movida, Localiza, MRV e Tenda.

 

Consumo não-cíclico

No setor de Consumo não-cíclico estão empresas ligadas a alimentos, bebidas e itens de uso pessoal; os subsetores são Agropecuária, Alimentos Processados, Bebidas, Comércio e Distribuição e Produtos de Uso Pessoal e de Limpeza.

São itens cujo consumo não está diretamente relacionado aos ciclos econômicos. As principais empresas desse setor são: SLC Agrícola, BrasilAgro, Camil Alimentos, M Dias Branco, BRFoods, JBS, Minerva, Marfrig, Ambev, Atacadão-Carrefour, Bombril e Natura.

 

Financeiro

O setor Financeiro é um dos maiores setores da Bolsa, com grande contribuição para o índice Ibovespa; inclui os subsetores Exploração de Imóveis, Previdência e Seguros, entre outras. As principais empresas que pertencem a esse setor são: Itaú, Itaúsa, Santander, Bradesco, Banco do Brasil, Banco Inter, BMG, Iguatemi, Multiplan, Porto Seguro e SulAmérica.

 

Materiais Básicos      

O setor de Materiais Básicos inclui os subsetores Embalagens, Madeira e Papel, Materiais Diversos, Mineração, Químicos e Siderurgia e Metalurgia. As principais empresas que estão nesse setor são: Duratex, Vale, Braskem, Unipar, Gerdau, Companhia Siderúrgica Nacional.

 

Petróleo, Gás e Biocombustíveis

O setor de Petróleo, Gás e Biocombustíveis não tem subsetores. Algumas empresas desse setor são: Petrobras, Petro Rio, Cosan, Ultrapar e Enauta.

 

Saúde

O setor de Saúde abrange os subsetores Comércio e Distribuição, Equipamentos, Medicamentos e Outros Produtos, Serviços Médicos Hospitalares e Análises e Diagnósticos. As principais empresas desse setor são: RaiaDrogasil, Profarma, Dimed, Hypera, Alliar, Fleury, Hapvida, Odontoprev e Qualicorp.

 

Tecnologia da Informação

O setor de Tecnologia da Informação possui um tamanho reduzido na Bolsa de Valores brasileira; inclui os subsetores Computadores e Equipamentos e Programas e Serviços. São empresas desse setor: Positivo, Sinqia, Linx, Totvs, Locaweb, Universo Online, Quality Software

 

Utilidade Pública

Finalmente, o setor de Utilidade Pública inclui os subsetores Água e Saneamento, Energia Elétrica e Gás. São empresas desse setor: Casan, Sabesp, Copasa, Sanepar, Sanesalto, Comgas, CEG, Taesa, Equatorial, Engie, Energias Brasil, Eletropaulo, CPFL Energia, Copel, Companhia Estadual de Energia Elétrica, Eletrobras, Cemig, AES Tietê

 

Faz sentido investir por setor da bolsa?

A resposta para esta pergunta depende do perfil e da preferência de cada investidor.

A definição dos setores nos quais você vai investir e dos critérios que vai selecionar para escolher as empresas depende dos seus objetivos como investidor, do retorno esperado para o investimento e dos riscos que você quer assumir.

Para quem investe com a mentalidade de sócio, de olho no longo prazo e na análise fundamentalista das empresas, faz bastante sentido escolher setores que considera ideais e, dentro deles, as melhores empresas. Isso porque os setores respondem de maneiras diferentes aos ciclos de mercado e à atividade econômica.

Não é um acaso, por exemplo, que as empresas de geração e transmissão de energia elétrica sejam consideradas algumas das mais seguras e previsíveis da bolsa de valores. Afinal, os contratos duram décadas, e é bem difícil prever um cenário da economia em que não será necessário consumir energia elétrica.

Já outros setores, como o de consumo não-cíclico, podem sofrer em crises econômicas e momentos de desemprego alto, porque o consumo interno cai, e os itens supérfluos tendem a ser cortados do orçamento.

Também faz sentido olhar para os setores para montar uma carteira diversificada, com ativos com baixa correlação entre si, o que diminui os riscos e protege o investimento.

Vale lembrar que é preciso muito cuidado ao comparar empresas de diferentes setores, porque as margens, os múltiplos, o endividamento e a geração de receita tendem a variar bastante entre setores diferentes. Por isso é tão importante dividir as empresas em setores. Compare banana com banana, batata com batata. Não misture coisas diferentes tentando fazer uma salada de frutas!

 

O podcast do Investidor Inteligente também pode ser um pouco seu! Acesse a transcrição no blog do Dicas Curtas caso queira deixar algum comentário para esse episódio! E você também pode participar mais fazendo a mesma coisa encontrando a postagem no perfil do Dicas Curtas tanto no Instagram (siga @dicascurtas) quanto na fanpage do Investidor Inteligente no Facebook. Aproveita para seguir o perfil, curtir a página e as postagens, marcar seus amigos e compartilhar com eles o que você está aprendendo aqui!

Caso queira, você também pode participar da comunidade exclusiva do Investidor Inteligente no Facebook, expondo suas dúvidas, dando suas sugestões de novos temas e apresentando postagens que agreguem à comunidade: para manter o grupo saudável, só não vale postar spam e nem publicidade, ok?!

Todos os links estão na transcrição no blog e na descrição dos episódios.

Assine agora e acompanhe esse podcast através do seu dispositivo Apple ou Android, sendo que você também pode encontrar o Investidor Inteligente pelos apps Spotify ou Deezer.

Coloque em prática, na ação e na mente, sobre aquilo que você entendeu e já refletiu que vai fazer a diferença em sua vida. Só assim você alcança aquilo que realmente deseja construir. Lembre-se de cuidar bem de você, de sua família e de suas finanças! Que Deus te abençoe!

Aqui é Phillip Souza, o Investidor Inteligente!

Investidor Inteligente do Dicas Curtas

Pin It on Pinterest

Share This