Ouça agora este podcast! “003 Seu negócio precisa de um público alvo”


Não importa o seu modelo de negócio ou sua área de atuação, o seu negócio precisa de um público alvo para permitir que identifique todas as características básicas de quem compra de você ou para quem você deseja vender.

Com todas as informações relevantes em mãos, você terá a oportunidade de otimizar toda a comunicação realizada através dos canais existentes, lembrando ainda que o ambiente digital hoje conta com diversas ferramentas e recursos, não só para você identificar as principais características dessas pessoas, mas também como permitir a  você, segmentar suas campanhas e direcionar seus textos para que possa acertar em cheio em suas ações de marketing.

Ação sem um público definido

Você já percebeu que quando alguém está panfletando em semáforos ou locais com grande fluxo de pessoas, logo começam a surgir diversos panfletos no chão, amassados ou se acumulando em lixeiras próximas.

Isto acontece porque o público que está descartando os panfletos não se interessam pela mensagem, imagens e conteúdos que estão ali apresentados.

Em resumo  aquelas pessoas não possuem necessidades ou problemas que podem ser resolvidos com aquela oferta.

Mas vou contar agora a pior parte: não definir este público poderá ser um dos principais motivos do seu negócio não dar certo!

Então o que fazer? …Defina imediatamente o seu público!

Mas agora o empresário pode dizer: Ah.. mas isso é difícil, não sei como fazer, ou se fizer isso estarei eliminando muita gente que compra aqui!

A verdade é que isso pode fazer toda a diferença na hora de precificar seu produto ou serviço, na forma como você se comunica com seu público e inclusive na forma como você vende!

Entendeu porque seu negócio precisa de um público alvo?

Vamos a um exemplo

Quem nasceu em meados dos anos 80, tem uma lembrança muito forte da marca de sandálias Havaianas.

Era uma marca predominantemente utilizada pela classe D, sendo um produto extremamente barato e determinava a classe social ou nível de renda de quem utilizava.

Através de uma estratégia de marca, reposicionamento baseado no público alvo que eles desejavam alcançar, modificaram toda a forma de se apresentar no mercado, como um item que determinava um estilo e de repente mudou de preço, ganhou novas versões e adereços atendendo um público mais exigente.

Ok? Mas como eu posso identificar meu público alvo?

A primeira coisa que tem que ficar claro aqui é que você precisa de pelo menos um e não apenas um! Isto vai depender dos produtos e serviços que oferece, assim como será sua capacidade de atendimento a estes públicos diversificados.

Para isso é essencial você mapear uma persona, que nada mais é um personagem semelhante a um cliente real, que possui dores, desejos, desafios, sonhos…

O ideal é que inclusive você dê um nome para esta persona, idade, estado civil, se tem filhos… identifique as principais características para que de alguma forma você consiga produzir uma comunicação ou uma oferta especificamente para este tipo de pessoa.

O Mapa da Empatia

Uma ferramenta que ajuda bastante na identificação deste público é o Mapa da Empatia. É uma ferramenta que foi desenvolvida para descrever uma pessoa ou um grupo de pessoas, onde a idéia aqui é captar os seguintes pontos:

Primeiro: O que a pessoa ideal vê?

Aqui você descreve o que potencialmente seu cliente vê:

  • Canais ou Programas de TV;
  • Redes sociais;
  • Sites;
  • O que acontece diante dos olhos dele.

Segundo: O que a pessoa ideal pensa e sente?

Neste tópico você identifica possíveis pensamentos e sensações como:

  • Está feliz ou triste?
  • O que ela pensa da sua vida?
  • Quais as principais preocupações?
  • O que pensa do futuro, das notícias?

Terceiro ponto: O que a pessoa ideal ouve?

Agora você irá identificar aquilo que a pessoa ideal esteja ouvindo como:

  • O que as pessoas falam pra ela?
  • O que ela ouve no rádio?
  • O que ela escuta por aí?

Quarto ponto: O que a pessoal ideal fala e faz?

Este espaço é destinado a identificar as seguintes informações:

  • Quais atividades ela faz no seu dia a dia?
  • Como é sua vida?
  • Qual história geralmente conta?
  • O que quer mostrar para os outros?

Quinto ponto: Quais são suas principais dores?

Este é um tópico muito relevante, pois aqui devem ser apresentadas as possíveis dores que precisam ser atendidas, ou seja:

  • O que reclama?
  • Seus problemas?
  • Insatisfações e frustrações?

Sexto ponto: Seus principais ganhos/necessidades?

E agora devem ser apresentados seus principais ganhos com a solução de seus problemas ou necessidades:

  • O que quer?
  • Quais são seus sonhos?
  • O que é sucesso para esta pessoa?
  • O que faz ela feliz?

Quer praticar um pouco?

A primeira coisa e baixar um mapa da empatia para  começar a praticar!

Segue o link para download do Mapa da Empatia: http://bit.ly/2v2i8Qo

Basta pegar os famosos “post-its” ou apenas lápis e borracha para começar a exercitar a criação de clientes ideais para seu negócio, ou seja, suas personas.

Não existe uma regra, a não ser fazer os questionamentos corretos conforme citei anteriormente e jogar várias possibilidades no papel e no final elimine aquelas que forem redundantes ou que não fizerem sentido no final.

Mapeando o perfil do seu cliente…

Agora com seu mapa da empatia pronto, basta você unir todas as informações como se fosse uma pessoa real:

Por exemplo:

A minha persona chama-se Maria, tem 25 anos, casada e tem 1 filho e trabalha como gerente em um supermercado.

Assiste programas de entretenimento, acompanha redes sociais de decorações de festas e alguns programas de tv específicos.

Não se sente muito segura no seu trabalho atual e não faz o que gosta.

Suas amigas dizem que ela sabe organizar festas como ninguém, e até escuta diversas amigas reclamando de serviços mal prestados pelos organizadores de eventos de sua região.

Ela acorda cedo e deixa o filho na escola de manhã, trabalha o dia todo e em seguida volta pra casa com o filho.

Ela quer ter mais tempo com seu filho e para seu casamento.

Poder ter uma renda melhor para quitar suas dívidas e trabalhar com o que ela mais ama, é o que ela mais deseja, que é: a “organização de eventos”.

Trabalhando com isto ela sabe que poderá montar um negócio rentável, fazendo o que ama, sendo reconhecida em casa pelo seu marido, amigos e familiares, sentido-se realizada com sucesso.

O que você vê agora?

Veja que é possível obter diversos insights com esta análise, o que vai permitir a você preparar toda sua comunicação, fazendo com que pessoas que possuem características semelhantes a sua pessoa ideal, se interesse por seu serviço ou produto e queira comprar de você.

Dois exemplos que podem ser aplicados à persona que mapeamos, seriam:

  • Uma escola de negócios que podem oferecer cursos aos finais de semana para pessoas têm o sonho de empreender e trabalhar com o que gosta;
  • Ou fornecedores de um segmento de produtos para festas, onde podem demonstrar como seus produtos viabilizam a realização de eventos com baixo custo ou realizar ofertas exclusivas.

O melhor disso tudo é que hoje contamos com duas principais ferramentas de marketing digital que possuem recursos de segmentação diferentes, mas muito eficazes: Google Adwords e Facebook Ads.

Como utilizar as informações coletadas?

O Google Adwords trabalha com a segmentação por:

  • Palavras chave;
  • Por tópicos e canais;
  • Público alvo( que permite selecionar por afinidade, mercado ou remarketing);
  • Local de exibição do anúncio;
  • Idade, local e idioma;
  • Programação por dia, horário e frequência;
  • Segmentação por dispositivos.

Lembrando que estas segmentações podem ser combinadas.

 

Já o Facebook permite a segmentação com base nas seguintes informações:

  • Dados demográficos;
  • Localização;
  • Interesses e comportamentos;
  • Além de também de permitir a criação de públicos personalizados e públicos semelhantes.

 

Bom… então essa era a dica de hoje…

Espero que a partir de agora você entenda porque seu negócio precisa de um público alvo e também comece a se comunicar de forma mais personalizada ele!

 

Lembre-se da seguinte frase:

“Quem fala com todo, mundo não fala com ninguém” 😉

 

Pin It on Pinterest

Share This