Ouça agora este podcast! “015 Treinos de ciclismo” .

Sempre que posso treinar com um atleta ou trabalhar ao lado de algum treinador com bons resultados, procuro aprender alguma coisa a fim de passar para os meus alunos.

Porém, ao contrário de qualquer fórmula mágica ou treino secreto, os treinos quase sempre seguem uma determinada estrutura ,e apesar de intensidades e variações diferentes, eles acabam fazendo parte de algum dos três principais métodos que são base do treinamento esportivo.

Por mais que existam diferenças nos treinos de provas longa e de curta duração, essas séries são fundamentais para todas as distâncias do triátlon em alguma fase do treinamento, seja no período de base ou específico.

Nas provas de triátlon mais curtas como sprint, short e olímpico você ficará em alta intensidade, ou seja mais próximo do seu limiar anaeróbio, o que significa que seus treinos tem que ter intensidades altas mais parecidas com a prova. Já nas provas de Ironman e Ironman 70.3, é a parte da prova onde você ficará a maior parte do tempo, sendo fundamental uma grande base aeróbica.

Treino que não podem faltar no seu ciclo:

 

– Treino de resistência e rodagem, responsáveis em modificar fibras rápidas em fibras lentas – que são mais adequadas para o triátlon, aumento dos estoques de glicogênio muscular. Exemplo: Pedal longo feito nos finais de semana com intensidade baixa, costumamos sugerir baixa e moderada intensidade.

– Treino de limiar anaeróbio e VO2, aumento da tolerância ao ácido lático, aumento de enzimas na mitocôndria da musculatura. Estes treinos são os treinos de intensidade da semana, geralmente no formato de contra relógio, repetições em subidas ou repetições no rolo de treinamento.

– Treinos de força pura, aumento de força neuromuscular são geralmente realizados com uma cadência baixa (entre 30 e 60 rpm) ou em subidas com pouca duração, porém alta intensidade. Por exemplo: 10 tiros com tempo máximo de 30 segundos em cadência baixa ou subida com 3 minutos de descanso 30 a 60 minutos alternando entre 1 minuto forte em cadência baixa com um minuto de descanso.

Para ter uma evolução física consistente e realmente melhorar seu condicionamento, é muito importante esta variação de estímulos, de forma sistematizada e controlada. Desta forma, prevenimos lesões, estagnação por falta de variação e até mesmo excesso de treinamento ou over training.

 

Pin It on Pinterest

Share This