Ouça agora este podcast!

“011 Vitamina D, Obesidade e Diabetes”

Neste episódio quero detalhar sobre os motivos que impedem o emagrecimento, permitindo que você consiga compreender os reais motivos que te afastam de alcançar este objetivo. E após esta compreensão possa realmente partir rumo ao objetivo do emagrecimento, mas com assertividade e sucesso.

Para partirmos rumo a este objetivo, é necessário a desconstrução de mitos e o esclarecimento pela ciência. Quando o assunto é emagrecimento, boa parte das orientações são repletas de achismos e crendices populares, além de serem guiadas pela falácia de que se funcionou para alguém, então funciona pra todo mundo.

Abandonando estratégias e orientações infundadas e sem real efetividade no emagrecimento, nos livramos daquela sensação de fracasso. E ao tratar o assunto do emagrecimento o que mais temos são pessoas frustradas devido a ineficiência dos métodos utilizados. 

Este episódio será útil para que de uma vez por todas não ande mais em círculos, descubra os motivos que te impediam e parta que para o êxito: emagrecer.

Eu sou Louis Marcondes, o expert em Nutrição do Dicas Curtas e semanalmente trago aqui neste podcast, várias dicas e informações para ajudar você a se alimentar melhorar, melhorando assim sua saúde, estética e bem-estar.

Então para que você não perca nenhuma dica e fique atualizado com todas as informações que estarei compartilhando aqui, basta assinar o podcast e acompanhar todas as semanas o Expert em Nutrição do Dicas Curtas.

Desconstruindo mitos e paradigmas do emagrecimento

Quando o assunto é emagrecimento, muitos diante da sua dificuldade fazem afirmações como: “Tenho metabolismo lento”, ou “tenho problema na tireóide” ou então “minha genética é ruim”. Mas será que estes são os reais motivos que os impedem de emagrecer?

Os esforços recorrentes de perda de peso através de estratégias radicais e sem cunho científico, a sedução a promessas milagrosas de perda de peso rápido, podem impactar negativamente na auto-imagem, trazer atribuições pessimistas e sentimentos de desamparo, os quais poderiam predispor os indivíduos ao fracasso. E o interrompimento destas tentativas e a obtenção do êxito vem pelas estratégias de perda de peso baseadas em evidências, as quais têm efeito libertador.

O ganho de peso tem causas complexas e multifacetadas. As intervenções de controle de peso geralmente se concentram em uma combinação de aspectos físicos e alimentares de ambientes sociais, econômicos e culturais, juntamente com abordagens individuais

Estratégias e motivos chaves no controle de peso

Segundo uma revisão sistemática publicada em 2017 pela Obesity Reviews, a revista médica oficial da Federação Mundial da Obesidade; cerca de 40% da população está tentando emagrecer, e destes 40% apenas 5% obtém êxito no emagrecimento. Nesta revisão sistemática os pesquisadores investigaram as tentativas de emagrecimento em todo mundo e foram identificadas as estratégias e motivos chaves no controle de peso. 

O estudo identificou que os indivíduos de grupos socioeconômicos mais altos e com níveis mais altos de educação são mais propensos a tentar controlar seu peso, talvez por serem expostos a vantagens sociais, como acesso serviços de perda de peso, maior acessibilidade a escolhas saudáveis ​​e conhecimento, que facilitam coletivamente a adoção de comportamentos relacionados ao balanço energético. As descobertas científicas destacam também o papel do gênero nos aspectos relacionados ao peso, com mais mulheres tentando perder peso do que homens. Uma explicação possível para isso é que normas sociais e as pressões culturais para serem magras afetam especialmente as mulheres, ou que mulheres com peso normal geralmente percebem excesso de peso e, consequentemente, realizam mais esforços para tornar-se ou permanecerem magras. 

As estratégias mais consistentemente avaliadas, utilizadas pela maioria dos indivíduos tentando perder e manter peso, estão relacionados ao aumento do gasto energético e concomitantemente a redução do consumo de energia, o que é condizente com as evidências e diretrizes para controle de peso. Pois o emagrecimento segue a primeira lei da termodinâmica, se gastar mais calorias do que consome, sabendo que energia não se perde mas se transforma, a gordura armazenada deverá ser transformada como substrato energético para fechar a equação.

Outras estratégias relacionados com a melhoria da qualidade da dieta – aumentando o consumo de alimentos saudáveis ​​(por exemplo, comer mais frutas vegetais) ou restringir o consumo de alimentos não saudáveis (por exemplo, comer alimentos menos açucarados) – foram moderadamente avaliados em estudos e também frequentemente relatados embora possam ou não ter um impacto no peso. Pois como relatado acima, o emagrecimento obedece a física, o que quero dizer com isto? Que embora alimentos saudáveis melhoram parâmetros de saúde, se não houver menor consumo calórico do que o gasto, não haverá emagrecimento, mesmo se alimentando de alimentos saudáveis.

Algo muito importante quanto as tentativas de emagrecimento, vários supostos auxiliadores no gerenciamento de peso, como: pílulas ou suplementos para perda de peso, laxantes ou diuréticos, produtos diet e substitutos de refeição – e também estratégias mais extremas – jejum ou vômito – são utilizados por uma parcela da população. Porém estas estratégias carecem de evidência científica e podem estar associados a reganho de peso com o tempo e o desenvolvimento de distúrbios alimentares.


Motivos que nos levam a desejar emagrecer

Em relação aos motivos que levam as pessoas a tentarem emagrecer. Razões como melhorar a aparência, em conformidade com os pedidos do cônjuge ou médico e evitar discriminação também são bastantes comuns. O que as pesquisas apontam, é que os motivos internos como a busca por saúde e bem-estar acabando sendo menos efetivos na adesão de comportamentos saudáveis e sucesso do que motivos externos como pressão social, proteção a auto-estima diante do preconceito.


Temos uma percepção equivocada do quanto comemos

Mas Louis, você citou que o emagrecimento obedece a primeira lei da termodinâmica, e eu como pouco, provavelmente menos calorias do que gasto. Então como eu não consigo emagrecer? Devido a percepção.

Em um estudo de 2007 publicado no Jornal da Associação Dietética Americana, avaliaram que cerca de 75 a 88% das pessoas dizem comer 30% menos do que realmente comem. Ou seja, a maioria das pessoas tem uma percepção equivocada de quantas calorias realmente ingerem. Outros estudos, um também de 2007 e outro de 2015 abordam também que o problema está na percepção. Muitas pessoas acham que comem normal, sendo que na verdade comem muito. 

Isto ocorre devido a associação entre volume e calorias. Não é porque uma refeição é volumosa que ela é muito calórica, como também não é porque uma refeição ou alimento é pouco volumoso que ele seja pouco calórico.


O emagrecimento e o metabolismo lento

Mas Louis, será que minha dificuldade de emagrecimento não está no meu metabolismo? 

Em um estudo de 2013, publicado no Jornal Internacional da Obesidade, foi avaliado que o metabolismo de pessoas obesas e magras são semelhantes, portanto o metabolismo não é a razão da dificuldade da perda de peso

O emagrecimento e a tireóide

Outro ponto normalmente citado está associada a tireóide. A diminuição da função tireoidiana, ou hipotireoidismo, é comumente associada ao ganho de peso. Mas, contrariamente à crença popular, o tratamento eficaz com levotiroxina para restaurar os níveis normais de hormônio tireoidiano não está associado à perda de peso clinicamente significativa na maioria das pessoas. O estudo que comprova tal afirmação foi apresentado em 2013 pelo Instituto Médico da Universidade de Boston na reunião anual da Associação Americana da tireóide.

Emagrecimento significativo não foi encontrado, embora cerca de metade dos pacientes perdeu peso até 24 meses após o início do tratamento com medicação, porém esta perda peso foi insignificante.

O emagrecimento e o exercício físico

Mas e quanto a atividade física? Não temos dificuldades para emagrecer pois fazemos pouca atividade física? 

Este é um outro mito, não faltam estudos para demonstrar que a perda de peso induzida por atividade física é modesta. Embora a atividade física traga outros benefícios. Em relação ao benefício promovido ao emagrecimento está na acentuação do défict calórico já estabelecido pela dieta, aumento da biogênese mitocondrial, ou seja, na capacidade de aumento do número de mitocôndrias e assim melhorar o consumo energético. Mas de nada adianta se exercitar, e consumir mais calorias que seu gasto energético diário. Neste aspecto reside o fracasso de muitos, realiza uma atividade que gasta 300 Kcal, sai da academia e consome um lanche que contém 500 Kcal. Algo que sempre digo é, é possível emagrecer se mantendo em déficit energético mas sem exercitar. Mas não é possível emagrecer se exercitando mas sem se manter em déficit energético.

A dieta ideal para emagrecer

Existem diversos dietas e estratégias nutricionais disponíveis: cetogênica, Low Carb High Fat, hiperprotéica, com muito fracionamento, com pouco fracionamento e períodos mais longos em estado não alimentado, e por aí vai.

Sendo que citei que quando o assunto é emagrecimento o que importa é o princípio da termodinâmica, tanto faz qual a estratégia, contanto que haja adesão, e que se mantenha em déficit energético. Claro que cada estratégia tem seus prós e contras, e a melhor maneira de acertar a melhor estratégia é procurando um bom nutricionista. O qual irá avaliar os aspectos sociais, culturais, hábitos, rotina, paladar entre outros, os quais você está submetido. Desta maneira tendo a estratégia traçada, doses de paciência, perseverança e adesão, trarão êxito no emagrecimento.

A proposta é adequar a dieta a sua realidade, pois assim você terá adesão. A tentativa  de seguir dietas que não se adéquam a sua realidade agregado a tentativa de emagrecimento rápido irá conduzi-lo apenas ao fracasso e a manutenção de um ciclo de tentativas intermináveis.

Lembre-se, não existe dieta milagrosa, mas uma conduta persistente que aceita que metas são traçadas a médio e longo prazo.

Espero que tenha gostado do episódio de hoje!

Se você gostou curta, comente e compartilhe o Dicas Curtas em suas redes sociais. E caso fique com alguma dúvida, me procura lá no grupo do Super Nutricionista no Facebook, pois estarei à disposição para esclarecer todas elas. Assine e acompanhe esse podcast através do seu dispositivo Apple ou Android, sendo que você também pode encontrar o Super Nutricionista no Spotify e no Deezer.

Sabia que a partir de agora você também pode ajudar o Dicas Curtas a crescer ainda mais fazendo parte do grupo de apoiadores?

Com incentivos a partir de 1 real por mês, você ajudará o Dicas Curtas a alcançar mais pessoas, incluir novos experts, e claro, ter acesso ao grupo de apoiadores no Facebook para receber conteúdos especiais e ter acesso a lives exclusivas para poder tirar suas dúvidas ao vivo com o expert de sua preferência.

Para ser um apoiador basta acessar o site: apoia.se/dicascurtas.

O link vai estar disponível na descrição do episódio!

Ficamos por aqui e até a próxima semana com mais uma dica do Super Nutricionista!

Até a próxima semana.


Pin It on Pinterest

Share This